25
SAB
26
DOM
27
SEG
28
TER
29
QUA
30
QUI
31
SEX
1
SAB
2
DOM
3
SEG
4
TER
5
QUA
6
QUI
7
SEX
8
SAB
9
DOM
10
SEG
11
TER
12
QUA
13
QUI
14
SEX
15
SAB
16
DOM
17
SEG
18
TER
19
QUA
20
QUI
21
SEX
22
SAB
23
DOM
24
SEG
25
TER

Amplifest 2015 • Um evento único, um ambiente único

16 de Setembro, 2015 ArtigosSara Dias

Partilhar no Facebook Partilhar no Google+ Partilhar no Twitter Partilhar no Tumblr

Sobre a EDM

Amplifest 2015 • Uma experiência catártica
HI_RES-A-A-C

Depois de já termos publicado uma antevisão do Amplifest 2015, achamos melhor simplificar: segue um artigo de poucas palavras sobre as  9 coisas a não perder nesta edição do Amplifest.

 
• William Basinski

Depois de uma passagem pela Culturegest em 2013, William Basinski está de volta a Portugal. A par de Converge é um dos nomes mais sonantes e promissores deste alinhamento. Apesar de ter começado muito antes com a gravação e exploração de loops (com ênfase na influência de Brian Eno e do seu Music For Aeroports), foi com Desintregation Loops que atingiu o devido e merecido reconhecimento. Embebido em sonoridades ambient e minimalistas, Basinski manipula os loops, desacelera-os, deixa-os desintegrarem-se – mergulhamos então quase num coma consciente. Será uma experiência única, sem dúvida.



 
• Church of Ra

Em representação deste coletivo ”multidisciplinar”, esta edição recebe três dos projetos mais interessantes e apelativos da atualidade musical. Primeiro os incontornáveis Amenra, encarcerados num sludge com traços de post-metal, este quinteto é já um nome de culto marcado acima de tudo pelas performances ao vivo – e já não é a primeira vez que passam pelo Porto com o cunho da Amplificasom. De seguida, encontramos o projeto a solo de Mathieu Vandekerckhove, fundador e guitarrista dos Amenra, Syndrome. Vandekerckhove cruza uma atmosfera ambiental com o post rock e ainda com o drone. Por fim, temos ainda os mais recentes membros da Church of Ra: Wiegedood – com membros dos Amenra, dos Oathbreaker e dos Rise & Fall, os belgas lançaram este ano o seu disco de estreia, De Doden Hebben Het Goed. Este é, sem dúvida, um grande disco de estreia, que lança os seus membros nas teias do black metal atmosférico. É um dos concertos mais promissores desta edição de uma das bandas mais promissora da atualidade.



 
• Full of Hell

Não podemos falar em artistas ou em bandas promissoras sem falar de Full of Hell. Apesar da tenra idade, este projeto está no ativo desde 2009 e muito ativo mesmo: lançaram já 5 splits um deles com os Code Orange, três longa-duração, seis EP's e três longa-duração. De destacar o mais recente, uma colaboração com Merzbow e de longe o mais interessante lançamento da sua carreira. Esta será a sua estreia em Portugal.



 
• ?

Desde 2013 que o Amplifest aposta numa banda/artista surpresa. Nesse mesmo ano os escolhidos foram os portugueses Catacombe, já na edição passada fomos brindados com os, também portugueses, Sektor 304. Nesta edição, e pela primeira vez, será uma banda estrangeira que irá subir ao palco na sala 1 do Hard Club, e só nessa mesma subida ao palco ficaremos a saber quem são. Fica lançado o desafio, podem começar a lançar as vossas apostas.

lightbox-pic-surprise

 
• “Nós Somos a Tempestade”

Outra parte importante e imperdível desta edição do Amplifest é a apresentação do livro “Nós Somos a Tempestade – Conversas Sobre o Metal Alternativo dos EUA” de Luiz Mazetto, pelo próprio autor. Este livro incide sobre entrevistas a vinte e cinco bandas, divididas em 8 capítulos, como Neurosis, Eyehategod, ISIS, Mastodon, Converge, Cave In, Saint Vitus e Oxbow. O nono capitulo é dedicado ao cinema, mais especificamente a realizadores de documentários ligados às bandas entrevistadas. Prefaciado por Nate Newton (Converge), este livro inclui também uma lista dos 50 álbuns essenciais deste movimento – este é um livro que nos dá uma visão mais ampla sobre algumas das vertentes musicais mais interessantes da atualidade.

IMG_20150121_084547602

 
• “Here is a Gift For You, An Old Man Gloom Documentary”

Este é um documentário a não perder para os fãs de Old Man Gloom. Para além de posts hilariantes, em que metade envolvem macacos, piadas, memes e coisas do género, este quarteto é um nome “de culto do sludge experimental” - com membros de Converge, ISIS e Cave In. “Here is Old a Gift For You” terá a sua primeira projeção pública no Amplifest e é composto por entrevistas e concertos da banda.



 
• “Rungs in a Ladder”

Seguimos com mais um documentário, desta vez de Jacob Bannon vocalista dos Converge, membro fundador dos Supermachiner, fundador da editora Deathwish e proeminente artista visual.

405694146_1280x720

 
• The Outer Limits

As Amplitalks são, sem dúvida, uma das atividades mais subvalorizadas do Amplifest, e por isso tinham que estar presentes neste artigo. Como o titulo indica, esta Amplitalk vai debruçar-se sobre os limites da música, do experimentalismo, da “reinvenção da roda musical”. Será que existe mesmo um limite? Teremos Stephen O'Malley (Sunn O))) e muitos mais), Kurt Ballou (Converge) e Mories (Gnaw Their Tongues).

lightbox-pic-amplitalk

 
Amplifest: First Light

Pela primeira vez, o Amplifest terá uma espécie de warm up em parceria com o Black Mamba – restaurante de hambúrgueres vegetarianos com um conceito único, que mistura a comida e a música, onde para além de jantar, podem comprar discos – e com os media partners – WAV., Ruído Sonoro, Arte-Factos, Ponto Alternativo. Apesar das reservas para o Black Mamba estarem já esgotadas, podem sempre passar pelo Cave 45 para começar o Amplifest da melhor forma possível: rodeados de amigos e boa música. Fica o convite feito.

por
em Artigos

Amplifest 2015 • Um evento único, um ambiente único
Queres receber novidades?
Comentários
http://www.MOTORdoctor.PT
Contactos
WAV | 2020
Facebook WAV Twitter WAV Youtube WAV Flickr WAV RSS WAV
Queres receber novidades?