23
SEG
24
TER
25
QUA
26
QUI
27
SEX
28
SAB
29
DOM
30
SEG
1
TER
2
QUA
3
QUI
4
SEX
5
SAB
6
DOM
7
SEG
8
TER
9
QUA
10
QUI
11
SEX
12
SAB
13
DOM
14
SEG
15
TER
16
QUA
17
QUI
18
SEX
19
SAB
20
DOM
21
SEG
22
TER
23
QUA

Antevisão Outeiro Metal Fest 2019

10 de Setembro, 2019 ArtigosWav

Partilhar no Facebook Partilhar no Google+ Partilhar no Twitter Partilhar no Tumblr

O som em revolução - Antevisão The Sound Of Revolution 2019

Espírito sanguinário - Antevisão Bloodshed Fest 2019
Depois de uma primeira edição muito bem recebida, o festival oriundo de Outeiro Seco, em Chaves retorna com um upgrade que promete um futuro risonho. Mas antes de falarmos do cartaz, há que ficar a conhecer um dos mais jovens festivais a surgir no norte (e interior) do país nestes últimos anos. Em primeiro ponto, há que sublinhar a importância da ética D.I.Y. que se mantém à vista de todos os que participam na organização deste. Não bastando, para além de coexistir com isso um grande investimento em projetos nacionais de pequeno e mediano reconhecimento público, há também uma grande aposta em gêneros menos convencionais da música extrema. Sendo o Interior-Norte um território com público e potencial para apresentar as mais interessantes obscuridades do rock/metal/punk português, não há melhor oportunidade do que esta para entrar em contacto com esse mundo.

É de louvar ver a chegada desta edição com mais do dobro das atuações, e com uma curadoria tão forte como atual. Começando pelos cabeças de cartaz, Gaerea e Redemptus, aqui se recebem duas das mais viajadas bandas do presente underground português. Os primeiros, depois do muito aclamado Settling Whispers do ano passado, têm levado a sua anonimidade pela Europa fora e até mesmo a terras asiáticas. Havendo dúvidas, há que deixar a música falar por si. Quanto aos portuenses Redemptus, viajar pela Europa fora não lhes é novidade nenhuma, e tendo em conta que mais recentemente carimbaram uma tour pela Rússia, há que entender a importância que Embrace The Darkness To Become The Light tem para o metal atual português.

Não bastando, o punk infernal dos Systemik Violence promete instaurar nojo e revolta no seu estado puro, enquanto a invasão espanhola entre Perpetual e Pneura abre portas para uma troca de talentos entre um país e o outro. Depois do muito bem recebido Montedor do ano passado, FERE é inquestionavelmente a pérola do cartaz. Sendo o único nome do cartaz mais inclinado para os panoramas do post-rock mais atmosférico e emotivo, há que deixar a banda fazer a sua magia em Outeiro. Restantes nomes como Wrath Sins, Divine Ruin, Verbian e os locais Ruína e Niil, apesar de mais pequenos, contribuem com tanta vibração e peso como os maiores nomes no alinhamento.

Há que relembrar que todo este seguimento de bandas jovens e estabelecidas, estão ao dispor do público com entrada livre! Sim, entrada livre! Sendo este um festival feito de fãs para fãs, e com um foco fortíssimo na cena musical portuguesa, há que deixar a música falar mais alto.



por
em Artigos

Antevisão Outeiro Metal Fest 2019
Queres receber novidades?
Comentários
http://www.MOTORdoctor.PT
Contactos
WAV | 2019
Facebook WAV Twitter WAV Youtube WAV Flickr WAV RSS WAV
Queres receber novidades?