25
TER
26
QUA
27
QUI
28
SEX
29
SAB
30
DOM
1
SEG
2
TER
3
QUA
4
QUI
5
SEX
6
SAB
7
DOM
8
SEG
9
TER
10
QUA
11
QUI
12
SEX
13
SAB
14
DOM
15
SEG
16
TER
17
QUA
18
QUI
19
SEX
20
SAB
21
DOM
22
SEG
23
TER
24
QUA
25
QUI

Hellfest 2018 • Antevisão/Playlist Altar e Temple

21 de Maio, 2018 ArtigosJoão "Mislow" Almeida

Partilhar no Facebook Partilhar no Google+ Partilhar no Twitter Partilhar no Tumblr
Hellfest

Hellfest 2018 • Antevisão/Playlist dos palcos principais

Hellfest 2018 • Antevisão/Playlist Valley e Warzone
O muito aguardado fim-de-semana em Clisson aproxima-se cada vez mais e é difícil não pensar nas inúmeras bandas que estarão ao dispor do dedicado público no Hellfest. Na semama anterior falou-se sobre dos palcos Valley e Warzone e neste artigo focamo-nos no Altar e no Temple. Sendo que a regra dos gêneros correspondentes a um palco mantém-se nestes dois, é evidente de que a alusão que cada um faz é mais do que apropriada àquilo que têm a oferecer.

O Altar, uma clara alusão ao Altars of Madness dos Morbid Angel, é o epicentro indiscutível para qualquer aficionado do death, thrash e do grind. É neste palco que, imediatamente no primeiro dia, se reencontrarão os franceses Benighted, juntamente com os Origin e a sua descarga energética via blast-beats e shreds intermináveis. Após estes, a noite será dos veteranos, com Demolition Hammer, sem dúvida uma das grandes atrações do dia, tal como os americanos Suffocation e também os já muito circulados Napalm Death. No segundo dia o Altar contará com os finlandeses Demilich e com os britânicos Akercocke que estarão em campanha do mais recente álbum Renaissance In Extremis. A não falhar, está o super-grupo Memoriam, composto por membros e antigos membros de Benediction, Bolt-Thrower, Sacrilege e Napalm Death, e para terminar em grande, os canadianos Kataklysm serão fulcrais para devastar o Altar mesmo antes dos americanos Nile encerrarem o palco. No terceiro e último dia, a Finlândia estará mais uma vez no leme com os veteranos do grind, Rotten Sound, a garantir caos total no arranque do dia. A suécia estará em força também com The Lurking Fear, e até os próprios At The Gates, que mais tarde prometem um dos concertos mais memoráveis da noite. Os thrashers de Nova Orleãs Exhorder e os de S. Francisco Exodus serão outros pontos fortes no encerramento.

Fechando agora as luzes, o Temple é sem dúvidas, um destino imperdível para quem ouve black metal religiosamente. Este ano, o overlapping foi levado a um novo extremo com alguns dos nomes no Temple, mas analisando cada umas das opções, estes são alguns dos nomes que se dignam imperdíveis no meio de um festival tão preenchido. O primeiro dia oferece alguma diversidade na sua disposição, com Schammasch e Saor no arranque da tarde, mas acabará garantidamente em grande nível com o post-rock emotivo dos islandeses Solstafir e o black’n’roll místico dos veteranos noruegueses Satyiricon a fechar o palco. No segundo dia, a oferta ganha mais consistência e nela o público encontrará nomes incontornáveis do underground como os atmosféricos Misþyrming da Islândia, ou os rituais do psyche black metal, Oranssi Pazuzu da Finlândia. A continuar, os noruegueses Enslaved estarão em palco para promover o mais recente álbum num concerto que promete expansão total, enquanto que os suecos Watain juram desordem apocalíptica e os noruegueses Dimmu Borgir celebrarão o seu retorno ao mundo com um concerto a fechar o segundo dia de Hellfest. Terceiro e último dia, retorna a diversidade e imediatamente no arranque do palco, estarão os francófonos Plebeian Grandstand cujo som tem sido interacionalmente reconhecido pela sua dissonância e caos instrumental. Os recentemente confirmados Tombs foram uma surpresa mais do que agradável e agradará o público em transe até à chegada dos polacos Batushka. Enquanto a liturgia mantiver o público em catarse, os ânimos estarão mais do que aquecidos para a chegada dos famosos Ensiferum de Helsinquia. O synthwave e as batidas industriais de Carpenter Brut, muito à semelhança de Perturbator o ano passado, marcará passo de dança para uma despedida em grande registo de mais edição do Hellfest Open Air.

Falta analisar só mais dois palcos, os principais. Até lá, o tempo passará, e mais próximos estaremos da muito esperada terra do barulho, Clisson! Subscreve a playlist em baixo.

por
em Artigos

Hellfest 2018 • Antevisão/Playlist Altar e Temple
Queres receber novidades?
Comentários
http://www.MOTORdoctor.PT
Contactos
WAV | 2018
Facebook WAV Twitter WAV Youtube WAV Flickr WAV RSS WAV
Queres receber novidades?