20
SAB
21
DOM
22
SEG
23
TER
24
QUA
25
QUI
26
SEX
27
SAB
28
DOM
29
SEG
30
TER
31
QUA
1
QUI
2
SEX
3
SAB
4
DOM
5
SEG
6
TER
7
QUA
8
QUI
9
SEX
10
SAB
11
DOM
12
SEG
13
TER
14
QUA
15
QUI
16
SEX
17
SAB
18
DOM
19
SEG
20
TER

Vodafone Mexefest 2015 • O que esperar

26 de Novembro, 2015 ArtigosJoão Neves

Partilhar no Facebook Partilhar no Google+ Partilhar no Twitter Partilhar no Tumblr

"Dancing (On A Thin Ice Dance Floor)": O Inverno em Can Cun

Jameson Urban Routes • O que esperar - Parte 2/2
mexefest

O Inverno traz-nos frio, chuva, prende-nos à cidade, traz de volta todo o stress e agitação do quotidiano. A proposta do Vodafone Mexefest é portanto festejar a cidade, o Inverno, a música. Nos dias 27 e 28 de novembro, Lisboa terá mais animação, calor e a vivência no meio da música.

A Avenida da Liberdade volta a ser palco daquele que é um dos mais atrativos festivais de inverno. Para além dos espaços já conhecidos das edições anteriores, as Salas Manoel de Oliveira e Montepio do Cinema São Jorge, a Estação Vodafone FM situada na Estação Ferroviária do Rossio, o Ateneu Comercial de Lisboa ou o histórico Coliseu de Lisboa, a edição deste ano vai ainda contar com concertos no Tanque, novo espaço cultural inaugurando no início deste mês, e o regresso do também emblemático Teatro Tivoli BBVA, que em edições anteriores acolheu concertos de bandas como Django-Django ou Alt-J.

Uma das novidades que o Vodafone Mexefest 2015 traz é a Vodafone Blackout Room. Esta sala é uma experiência que o festival irá proporcionar ao colocar quatro artistas a atuar na Sala 3 do Cinema São Jorge num formato especial onde os concertos acontecem completamente às escuras. No dia 27 atuam nesta sala, Akua Naru com o seu hip-hop carregado de soul, e o brasileiro Castello Branco, enquanto que no dia 28, são Benjamin e Bombino a tocar neste quarto escuro.

Ariel Pink, Benjamin Clementine e Patrick Watson são, provavelmente, os três nomes mais esperados desta edição. Benjamin Clementine, vem a Lisboa apresentar o seu primeiro trabalho At Least For Now, que recentemente foi galardoado com o Mercury Prize de 2015. Já Patrick Watson é um artista que deixa sempre imensas saudades de quando por cá atua e desta vez vem também apresentar o mais recente disco, Love Songs for Robots. Lembram-se da grande chatice que foi decidir entre Ariel Pink, Jungle ou Run The Jewels? Para quem perdeu o concerto que o californiano não pode de todo perder esta que se avizinha mais um bela revisitação de pom pom. No campo do  Indie Pop haverá os também aguardados Chairlift, que deverão apresentar algumas músicas do álbum que será editado em janeiro próximo, Moth, cujo primeiro single se intitula “Ch-Ching”.



Titus Andronicus lançaram álbum novo este verão, The Most Lamentable Tragedy, e são outro dos nomes que mais saudades nos deixaram depois daquele que foi um dos melhores concertos do NOS Primavera Sound em 2013. Os Ducktails, projeto paralelo de Matt Mondanile dos Real Estate, atingiram um maior destaque mundial em 2013 com The Flower Lane que, só tiveram a oportunidade de apresentar em Portugal no norte do país, regressando agora já com um novo disco para mostra, St. Catherine. Nota de destaque também para Bully, outra coqueluche do punk-rock norte-americano que se estreiam em Portugal com o bastante cativante Feels Like.

Umas das grandes apostas da Música no Coração este ano é no Hip-Hop. Akua Naru e Roots Manuva são sinal da grande aposta neste estilo musical que vem em crescendo no nosso país. O britânico é um dos mais influentes rappers dos final dos anos 90, conhecido pelo seu hip-hop mais alternativo e trip-hop. Roots Manuva traz-nos, Bleeds, um álbum muito apreciado pela crítica que tem o seu auge no espectacular single “Don’t Breathe Out”. Por sua vez a norte-americana, é uma das mais aclamadas vozes no meio, com a sua alma cheia de soul e funk envolvente com qualquer pessoa que a oiça. Dona de um álbum de estreia que também causou muito burburinho, volta agora com um segundo álbum muito mais maduro e consistente, The Miner’s Canary, que surpreendeu todos os críticos e amantes do hip-hop.



A presença da música portuguesa continua a ser uma constante no Vodafone Mexefest com bandas como Cave Story, já com dois EP’s de excelente qualidade do seu post-punk e new wave, Best Youth, projecto de Ed e Catarina Salinas, numa tendência mais pop, ou Glockenwise numa vertente mais rock, que regressam à capital para apresentar o recém-lançado terceiro disco, Heat.

Destaque também para as bandas vencedoras do Vodafone Band Scouting, Galgo e Flying Cages, que irão abrir o palco Estação Vodafone FM nos dias 27 e 28, respetivamente. Os primeiros têm apenas um EP editado mas já dão cartas na música psicadélica, contando já com passagens por festivais de verão como o Reverence Valada ou o NOS Alive. Já os segundos vêm apresentar o seu LP, Lalochezia, numa onda bem mais pop-rock.



A Avenida aquece-se num dos meses mais frios do ano e dá vida aos edifícios mais emblemáticos da cidade de Lisboa para transformar em realidade as fantasias de muitos. A consulta do cartaz completo bem como o horário das atuações, pode ser feito aqui.

Já os que não puder ir ao festiva e for cliente da Vodafone pode acompanhar uma emissão inédita no canal 10 do sistema de televisão da Vodafone onde haverá entrevistas com os artistas, imagens dos showcases ou transmissão em direto de alguns concertos.
por
em Artigos

Vodafone Mexefest 2015 • O que esperar
Queres receber novidades?
Comentários
http://www.MOTORdoctor.PT
Contactos
WAV | 2018
Facebook WAV Twitter WAV Youtube WAV Flickr WAV RSS WAV
Queres receber novidades?