wav@wavmagazine.net | 2014 | PT
a
WAV

Festivais 2016: Os nomes realmente relevantes

19760703876_592b8b2b62_o

Já com grande parte dos cartazes que compõem os festivais de verão (e primavera) revelados, decidimos fazer um breve apanhado daqueles que consideramos os artistas mais relevantes anunciados até ao momento, desde o SWR Barroselas Metalfest até ao Reverence Valada já em setembro.

Numa altura em que aparecem cada vez mais festivais, são cada vez também mais os nomes que ano após ano continuam a passar por Portugal, cujo espetáculo já não causa qualquer novidade a muitos dos festivaleiros mais regulares nestas andanças. Decidimos fazer então uma lista para separar o trigo do joio, percorrendo o máximo de géneros musicais quanto nos era permitido e tendo em conta factores como a popularidade, último lançamento, última passagem pelo nosso país, entre outros.

São muitos os nomes que ficaram de fora, especialmente dos mais pequenos, que ficam guardados para a próxima lista que terá como mote precisamente os nomes não tão óbvios a não perder.

15
The Heads – Milhões de Festa (21-24 de julho)

Os The Heads são uma histórica banda Heavy Psych inglesa liderada por Paul Allen, conhecido mais recentemente pelo seu projeto Anthroprophh. Depois de um prolongado hiatus, a banda regressou ao ativo 2015 no festival Roadburn da Holanda, concerto que foi gravado e é lançado em disco este ano. Os The Heads estão para o underground britânico como uns Kyuss estão para a “cena” do outro lado do Atântico.

 

14
Elder – Sound Bay Fest (29-30 de abril)

Donos de um dos mais aclamados discos de 2015 na área do Psych Stoner, os Elder veem a sua estreia em palcos nacionais confirmada para a segunda edição do Sound Bay Fest. A juntar-se ao som pesado que se tornou marca registada dos norte-americanos, Lore, o terceiro álbum de estúdio da banda, explora um território mais Progressivo e Doom até agora pouco habituais, transformando este num disco que ultrapassa quaisquer fronteiras de género. No estilo de música em que se inserem, podíamos perfeitamente ter escolhido para esta lista outros nomes como Truckfighters, All Them Witches ou Dead Meadow, por exemplo, mas escolhemos Elder precisamente pela muito ansiada estreia nacional e pelo disco que agora estão a apresentar.

 

13
Julia Holter – NOS Primavera Sound (9-11 de junho)

Quatro anos depois da estreia da norte-americana em solo nacional, Julia Holter traz consigo na bagagem um novo disco, Have You In My Wilderness. Álbum que não só traduz a maturação de Holter enquanto artista, mas que também a lançou para quase todos os tops dos melhores discos de 2015. Este chega até nós no primeiro dia do NOS Primavera Sound, a 9 de junho.

 

12
Taake – SWR Barroselas Metalfest (22-24 de abril)

Dentro de muitas coisas que poderíamos no maior e mais duradouro festival de metal português, aquilo que nos chamou mais a atenção foi a presença do Taake no cartaz final do festival. Taake, nome já algo histórico dentro do metal mais negro e máquina de fazer discos, que em norueguês significa nevoeiro. Vêm a Portugal apresentar o seu Black Metal sombrio para uma plateia preparadíssima para o receber e já habituada a estas andanças. Os blast beats e o peso melódico irão reinar e dominar a noite de sexta-feira 22 de abril.

 

11
Tinariwen – Festival Med (30 de junho a 2 de julho)

Pode ter passado ao lado de muita gente, mas ficou bem marcado na nossa cabeça quando no dia 3 de março, o Festival Med (realizado em Loulé) anunciou o regresso dos míticos Tinariwen ao nosso país. Os Tinariwen são um conjunto tuareg algo revolucionário, proveniente do norte do Mali, em atividade desde 1979 e sempre com rotatividade de membros, dos quais já fez parte Bombino. Trazem consigo o muito aclamado Emaar e, de certo, impressionará pela qualidade dos seus músicos. Rock do deserto no seu melhor.

 

10
Anthrax – VOA Fest (5-6 de agosto)

Pertencentes aos (considerados) Big Four do Thrash Metal, ao lado de Metallica, Megadeth e Slayer, os históricos Anthrax voltam para incendiar Portugal, numa noite de puro verão, esperamos. Atuam em Corroios, na versão renovada do VOA Fest, diante de um público sedento para os ver, ou não fossem os já 26 anos de interregno desde o explosivo concerto no mítico Dramático de Cascais. Um concerto que tem tudo para correr bem.

 

9
Queen – Rock in Rio (20 de maio)

Mesmo sem Freddie Mercury (incontestavelmente, um dos melhores vocalistas rock de sempre), os Queen mostram ter capacidade para proporcionar um bom show, como se pôde observar na edição passada do Rock in Rio Brasil. Vêm a Portugal para atuar no festival com o mesmo nome mas do outro lado do Atlântico. Desengane-se aquele que pense que Adam Lambert é um handicap à atuação, pois não o é. Uma escolha que, de início, parecia algo rebuscada à generalidade dos fãs de Queen (e de rock, no geral), mostra, ao vivo, o seu valor e o porquê de ser o “choosen one”, demonstrando ter noção dos seus limites e dando o espaço necessário para os verdadeiros heróis brilharem: Brian May e Roger Taylor.

 

8
Iggy Pop – Super Bock Super Rock (14-16 de julho)

Após uma passagem algo fracassada na edição de 2011 do festival Optimus Alive, festival em que “abriu” os Foo Fighters acompanhado dos seus Stooges, Iggy Pop é, em 2016, cabeça de cartaz do Super Bock Super Rock. Não existe muito a dizer sobre Iggy Pop, se não que é dos últimos rockeiros clássicos ainda vivos, espalhando magia desde os anos 60 (época ainda dos seus Stooges) até aos dias de hoje, tanto a solo como em álbuns/músicas de parcerias. Destaque para Post-Pop Depression, o seu último trabalho, lançado em colaboração com Josh Homme (Kyuss, Queens Of The Stone Age).

 

7
PJ Harvey – NOS Primavera Sound (9-11 de junho)

Carisma – é a palavra que marca a lenda que Polly Jean Harvey já é. Dona de sonoridades sujas e abrasivas que marcaram os anos 90, 2011 foi o último ano em que tivemos oportunidade de ver esta que é uma das mais míticas artistas da nossa contemporaneidade. Cinco anos depois regressa para NOS Primavera Sound, a 10 de junho, com The Hope Six Demolition Project, disco que foi criado em sessões públicas no contexto de uma exposição de um museu londrino no ano passado. Este será, sem dúvida um dos concertos mais ansiados do ano.

 

6
Radiohead – NOS Alive (7-9 de julho)

Todo o entusiasmo vivido em torno da vinda dos britânicos a Portugal já foi provado com o seu dia esgotado no festival em questão, onde também atuaram em 2012, ano da sua última vinda ao nosso país. Com álbum novo a ser lançado e com uma discografia repleta de êxitos, este promete ser um excelente concerto, tal como já nos habituam desde os anos 90. Fogem um pouco ao propósito desta lista, uma vez que encabeçam o mesmo festival que há 4 anos (só por isso não ficam mais à frente na lista) mas, nos tempos que correm, um concerto de Radiohead em qualquer parte do mundo é por si só nota da maior relevância, com ou sem disco novo.

 

5
Brian Wilson performing Pet Sounds – NOS Primavera Sound (9-11 de junho)

Outro destaque do já muito mencionado NOS Primavera Sound deste ano é o espetáculo de Brian Wilson, vocalista e principal compositor dos históricos “surf-rockers” The Beach Boys. O artista vem ao Porto numa digressão especial em que anda a tocar Pet Sounds (magnum opus da sua banda) na íntegra. Uma oportunidade única de se ouvirem ao vivo clássicos como ”Wouldn’t It Be Nice” e “God Only Knows” ao vivo, cantados na voz original.

 

4
Kendrick Lamar – Super Bock Super Rock (14-16 de julho)

De Compton para o mundo, Kendrick Lamar regressa a solo lusitano a 16 de julho, encabeçando o último dia de Super Bock Super Rock. Na alçada de um To Pimp a Butterfly, o norte-americano globaliza-se e dá uma cuspidela eloquente na cara do mundo: “I don’t see Compton, I see something much worse: the land of the landmines, the Hell that’s on Earth“. Este é outro dos nomes que poderia escapar ao âmbito desta lista, uma vez que passou por Portugal há apenas 2 anos atrás. Mas, entretanto, Kendrick cresceu em dimensão e em impacto, principalmente desde o lançamento de To Pimp a Butterfly, sendo que ascendeu a um dos nomes mais importantes do Hip Hop atual.

 

3
Reverence Valada (8-10 de setembro)

Com tantos nomes importantes presentes no seu cartaz, era impossível esquecermos aquele que é um dos melhores “novos” festivais realizados por cá. As estreias e regressos muito relevantes que acontecerão na edição deste ano do festival chegavam e sobravam para encher toda esta lista. Desde as estreias dos psicadélicos The Brian Jonestown Massacre e dos lendários do Punk The Damned, ao muito aguardado regresso dos míticos Killing Joke, sem esquecer The Sisters of Mercy, Yawning Man, LSD & The Search For The God… é só escolher. Que mais é preciso dizer? Tudo nomes importantes no género em que se inserem e para a música no geral.

 

2
LCD Soundsystem – Vodafone Paredes de Coura (17-20 de agosto)

Se a música dos LCD Soundsystem não chegasse para os vermos como um dos nomes mais importantes que passarão por terras lusas na época festivaleira, também existe o motivo da sua importante reunião, algo que não constava na cabeça de ninguém no final do ano passado. James Murphy volta com a sua banda ao nosso país, cerca de 6 anos após passagem no Optimus Alive, como cabeças-de-cartaz e numa digressão de reunião que, por certo, ficará para a história e dará muito bom material para um futuro documentário. Vamos podermos dizer: “I was there” com a mesma convicção que James Murphy o faz em “Losing My Edge”.

 

1
Neurosis – Amplifest (19-22 de agosto)

Escolhemos os Neurosis para encerrar esta lista e a sensação é de que não poderia ser outro nome. Para além de fazerem música de elevadíssima qualidade, são uma banda de referência e bastante influente, não só dentro dos géneros mais alternativos do metal, e estream-se em absoluto no nosso país no ano em que comemoram os seus 30 anos de carreira. É completamente irrisório pensar que os Neurosis nunca cá tinham vindo – apesar das frequentes presenças de Scott Kelly a solo no nosso país – sendo esta a oportunidade única para se testemunhar aquele que será sempre visto como o primeiro concerto neste Portugal cada vez mais aberto às novas sonoridades. Mais vale tarde que nunca.

Share Button

Comentarios

comentarios

Por Wav / 21 Abril, 2016
Tags:     , , ,

Deixar um comentário

About the author /


~