23
SEG
24
TER
25
QUA
26
QUI
27
SEX
28
SAB
29
DOM
30
SEG
1
TER
2
QUA
3
QUI
4
SEX
5
SAB
6
DOM
7
SEG
8
TER
9
QUA
10
QUI
11
SEX
12
SAB
13
DOM
14
SEG
15
TER
16
QUA
17
QUI
18
SEX
19
SAB
20
DOM
21
SEG
22
TER
23
QUA

Black Balloon XX (Riding Pânico + Jibóia + Pista) @Lux - Lisboa [23Jan2015] Texto+Fotos

28 de Janeiro, 2015 ReportagensJoana Brites

Partilhar no Facebook Partilhar no Google+ Partilhar no Twitter Partilhar no Tumblr
Lux Frágil

Dead Neanderthals + Orthodox @Cave 45 - Porto [29Jan2015] Foto-reportagem

O Salgado faz anos...FEST! [24Jan2015] Foto-reportagem
panico (5 de 15)_DONE

Balões vestidos de negro para uma noite exótica. No passado dia 23 de Janeiro, o Lux Frágil recebeu os frenéticos Pista, que abriram a noite, incendiaram o palco de alegria, saltos e piruetas. A luz da sala podia ter ajudado à festa, mas enfim, Black Balloon também era black room e o público não estava muito afim de grandes abanadelas ao som do trio. Tocaram temas já conhecidos como “Primeira”, “Onduras” e o já cantado por alguns, “Puxa”. Faz lembrar os Quelle Dead Gazelle, vieram ocupar a vaga de palcos deixada pelo duo de Lisboa, mas com mais vibração, mais estilo e mais qualidade.



De seguida, Jibóia começa o seu feitiço. A encantar a demanda, tocou e gritou, acompanhado de Ana Miró que nunca fica mal na pintura. Deram um espetáculo onde percorreram desde o EP homónimo a Badlav e ainda nos deram ou uma música nova ou um jam bem feito, negro e obscuro, com o lado negro da cobra.



O auge da noite cabia aos Riding Pânico que segundo a informação, iam tocar o famoso álbum Autobahn dos Kraftwerk, mas acabaram por tocar só a faixa homónima. Claro que já tínhamos saudades de ver Riding Pânico ao vivo, mas já lá vamos. Num set de 9 músicas, contando com que duas são a mesma com versões diferentes e que o restante são temas próprios, pouco houve de Kraftwerk. Foi bom mas soube a pouco.

Quanto a Riding Pânico a assumirem a sua própria identidade, foi um delírio. As saudades eram muitas e foi mesmo bom recordar e vibrar ao som de temas estrondosos como “E se a Bela fosse o Monstro”, “Dancehall”, “Banzai”... Ficou por tocar a “Volvo”, mas esperemos por outra oportunidade. Também tem de se dar aqui um certo enfâse à passagem de “Blueberry Surprise” para a “E se a Bela fosse o Monstro”, que teve tanto de sublime como de explosivo e intenso.

O novo baterista não se saiu nada mal, emigrado dos Quelle Dead Gazelle. Terminaram com a segunda versão de “Autobahn”, ou melhor, a continuação do início, mas agora mais pesado, mais Riding Pânico, mais agressivo.

por
em Reportagens
fotografia Hugo Adelino

Black Balloon XX (Riding Pânico + Jibóia + Pista) @Lux - Lisboa [23Jan2015] Texto+Fotos
Queres receber novidades?
Comentários
http://www.MOTORdoctor.PT
Contactos
WAV | 2019
Facebook WAV Twitter WAV Youtube WAV Flickr WAV RSS WAV
Queres receber novidades?