16
TER
17
QUA
18
QUI
19
SEX
20
SAB
21
DOM
22
SEG
23
TER
24
QUA
25
QUI
26
SEX
27
SAB
28
DOM
29
SEG
30
TER
31
QUA
1
QUI
2
SEX
3
SAB
4
DOM
5
SEG
6
TER
7
QUA
8
QUI
9
SEX
10
SAB
11
DOM
12
SEG
13
TER
14
QUA
15
QUI
16
SEX

Mother Engine - Cave 45, Porto [4Out2017] Texto + Fotos

12 de Outubro, 2017 ReportagensJorge Alves

Partilhar no Facebook Partilhar no Google+ Partilhar no Twitter Partilhar no Tumblr
Cave 45

Swans - Hard Club, Porto [8Out2017] Texto + Fotos

Radio Moscow + Kaleidobolt - Hard Club, Porto [30Set2017] Texto + Fotos


 

Com o anúncio oficial do encerramento da Cave 45, instalou-se na comunidade de melómanos um forte sentimento de melancolia: afinal, passamos muito tempo nos últimos anos a colecionar memórias neste espaço único, dotado de um espírito que simplesmente não se encontra actualmente em mais lado nenhum; mais do que uma mera sala de concertos, a Cave tornou-se a casa do rock na Invicta, um local de descoberta e convívio. Contudo, por muito que nos custe admitir, tudo tem um fim, ainda que este seja cruelmente prematuro.

Ainda assim, até ao final do ano muito temos para ver e ouvir, e na quarta-feira passada foi a vez de assistirmos ao regresso dos alemães Mother Engine, aqui a promover a novidade Hangar.

O grupo, que já por cá tinha estado para uma atuação no Sonic Blast, em Moledo, não acrescenta necessariamente nada de novo, mas a ausência de inovação é compensada com um rock de inegável qualidade: com as bases no stoner de tons psicadélicos, o trio adiciona refrescantes elementos progressivos, tornando as suas composições mais dinâmicas e ricas. Há momentos rockeiros e outros de natureza contemplativa, mas independentemente da opinião que tenhamos sobre o som que praticam, é impossível não nos sentirmos entusiasmados ao ver uma banda a dar tudo o que tem.

A atuação dos Mother Engine – que até direito a encore teve – foi, acima de tudo, uma sessão intimista, suada e enérgica de puro rock retro. Numa noite em que os portuenses Orangotango e os barcelenses West Grave também marcaram presença e proporcionaram belos aquecimentos – os primeiros num registo mais intenso e direto e os segundos numa onda mais bluesy, sem esquecer o peso - celebrou-se a arte do riff e provou-se que o rock continua vivo e saudável. Concertos como estes, ao contrário do local que os acolheu, viverão para sempre na nossa memória.

 

Mother Engine


Orangotango e West Grave
por
em Reportagens
fotografia Bruno Pereira

Mother Engine - Cave 45, Porto [4Out2017] Texto + Fotos
Queres receber novidades?
Comentários
http://www.MOTORdoctor.PT
Contactos
WAV | 2018
Facebook WAV Twitter WAV Youtube WAV Flickr WAV RSS WAV
Queres receber novidades?