26
DOM
27
SEG
28
TER
29
QUA
30
QUI
31
SEX
1
SAB
2
DOM
3
SEG
4
TER
5
QUA
6
QUI
7
SEX
8
SAB
9
DOM
10
SEG
11
TER
12
QUA
13
QUI
14
SEX
15
SAB
16
DOM
17
SEG
18
TER
19
QUA
20
QUI
21
SEX
22
SAB
23
DOM
24
SEG
25
TER
26
QUA

O Martim @ Musicbox - Lisboa [6Fev2015] Texto + Fotos

12 de Fevereiro, 2015 ReportagensDiogo Alexandre

Partilhar no Facebook Partilhar no Google+ Partilhar no Twitter Partilhar no Tumblr
Musicbox

6º Aniversário Blog BranMorrighan @ Maus Hábitos - Porto [13Fev2015] Foto-reportagem

Slow Magic @ Musicbox [6Fev2015] Texto + Fotos
DSC05908_DONE - Cópia

Frio e chuva foi o que S. Pedro anunciou para a primeira sexta-feira de Fevereiro. Sendo esse o dia em que Martim Torres (líder musical do projeto O Martim) apresentava o seu novo disco: Horas Para Gastar Vol.1. O público, apesar das condições meteorológicas, não ficou por casa e deslocou-se em peso ao Musicbox para ver e ouvir em primeira mão como soa o novo trabalho d'O Martim ao vivo.

O aguardado concerto foi antecedido por um simples, mas eficaz, DJ Set de Sensi. Rodaram-se músicas de Jay Z, Beastie Boys, House Of Pain, mas não só de hip-hop/rap se compôs o set, também por lá passaram Arctic Monkeys, Chic, entre outros.

Por volta das 23h30, já com a casa cheia e após uma ilustre apresentação, Martim Torres sobe ao palco com a sua banda para interpretar quase de imediato “Cinderela do Cais”, escrita na altura em que a Rua Nova do Carvalho ainda não tinha sido (re)pintada e pendia mais para o grená do que para o rosa atual. Martim, sempre sorridente, prossegue com o concerto, até que chegou a vez do primeiro convidado subir ao palco. Falamos de Tiago Lamy, um amigo de infância do cantor, que fez os desabafos e os coros da música “Amor De Mão”, música que soltou muitas risadas no público. O título fala por si.

Os convidados continuam a chegar: é a vez de Samuel Úria. O cowboy de Tondela invade o palco com o seu banjo e com os seus 'moves' típicos em “Pode Ser”, música essa, em que Martim salta para a plateia e canta o refrão com o público. Seguem-se “Vai Ter de Ser” (descrita como “a melhor canção do disco”) com uma entrada muito à Strokes e o bendito single “Razão Da Distração” (com Cut Slack nos teclados) que põe toda a gente a dançar com a sua melodia uplifting, a contrastar, precisamente, com a música anterior. Fomos puxados do sub-zero para o oitavo andar em minutos.

Em “Intensamente Estúpida” junta-se o útil ao agradável e chama-se Sensi para fazer os diálogos e o rap do meio da música. Uma interpretação fidedigna ao registo de estúdio, que muito provavelmente não se voltará a repetir ao vivo. “De 5 em 7 Dias” termina com o alinhamento regular e deixa o público a cantar “Tu não vais voltar, de 5 em 7 dias tu vais mudar. Tu não vais vencer, de 5 em 7 dias vais desaparecer” e a pedir pelo encore, que chega poucos minutos depois com a primeira incursão nos temas do disco que o apresentou o artista ao mundo. “Banho Maria” e “Domingo De Manhã”, encerram de vez com a noite mas não antes de Martim Torres investir no belo do crowdsurf.

E assim se passou um bom início de noite de sexta-feira. Houve quem ficou, houve quem preferiu trocar de sala e houve quem se deslocou imediatamente para casa. Uma coisa é certa: independentemente de para onde foram essas pessoas, foram com certeza com um sorriso na cara.

por
em Reportagens

O Martim @ Musicbox - Lisboa [6Fev2015] Texto + Fotos
Queres receber novidades?
Comentários
http://www.MOTORdoctor.PT
Contactos
WAV | 2020
Facebook WAV Twitter WAV Youtube WAV Flickr WAV RSS WAV
Queres receber novidades?