20
SAB
21
DOM
22
SEG
23
TER
24
QUA
25
QUI
26
SEX
27
SAB
28
DOM
29
SEG
30
TER
31
QUA
1
QUI
2
SEX
3
SAB
4
DOM
5
SEG
6
TER
7
QUA
8
QUI
9
SEX
10
SAB
11
DOM
12
SEG
13
TER
14
QUA
15
QUI
16
SEX
17
SAB
18
DOM
19
SEG
20
TER

Orelha Negra @ Hard Club - Porto [30Jan2016] Texto + Fotos

01 de Fevereiro, 2016 ReportagensJoão Neves

Partilhar no Facebook Partilhar no Google+ Partilhar no Twitter Partilhar no Tumblr

O Salgado Faz Anos… FEST! @ Maus Hábitos - Porto [30Jan2016] Fotogalerias

José Camilo @ Popular Alvalade - Lisboa [22Jan2016]
orelhanegra-37

Foi ainda em 2015 que os Orelha Negra nos comunicaram que iriam apresentar novo material durante este mês de janeiro, presenteando-nos com duas datas: uma em Lisboa e outra no Porto. E até então esgotaram ambos os concertos e era fácil de prever toda a expectativa que se criou no público para ver o novo trabalho. Os Orelha Negra, que de resto, já tinham feito uma situação semelhante em 2013, onde no início do ano deram um concerto de apresentação do seu segundo trabalho, voltaram a repeti-lo. Em fórmula vencedora não se mexe. A Sala 1 do Hard Club respirava ansiedade, entusiasmo e expectativa para ouvir aquilo que estes cinco amigos tinham preparado nos últimos três anos.

A sala ficou completamente escura e só se conseguiam observar as formas dos elementos do grupo enquanto apresentam a primeira faixa, percebendo-se que a banda, apesar de se manter fiel aos samples, tem agora uma vertente muito mais “live band” onde a bateria de Fred e o baixo do Francisco Rebelo começam a ser bastante mais notórios. As luzes acendem-se para o primeiro grande aplauso da noite. Eles são os mesmos, continuam exatamente na mesma posição, alteraram a sua forma de atuar, mas a maneira como chegam ao público e aquilo que transmitem através da sua música continua a ser incrível. E eles nem precisam de se mexer ou falar, as vozes que gravam para comunicar com o público ou o os movimentos com os braços são o suficiente para mostrar a sintonia entre banda e público, bem como o ambiente “jamming” que parece durar um concerto inteiro. Tudo preparado ao milímetro.

Os samples continuam a ser arrojados e levar a mesma onda dos álbuns anteriores: hip-hop, soul, funk ou até mesmo jazz, apesar de serem algo mais curtos que no passado. Foi mesmo utilizando samples que puxaram um dos maiores aplausos da plateia, quando fizeram um mashup de “Bitch Don’t Kill My Vibe” de Kendrick Lamar, onde alteraram o refrão para “Drake Don’t Kill My Vibe” com uma das músicas do momento do artista: “Hotline Bling”.

E se durante uma hora só se ouviu música nova, os cinco amigos regressaram ao palco para um encore, nada mais que estonteante onde presentearam o público com “961919169”, logo seguida de “Throwback”. Mas para os que ainda não estivessem completamente convencidos de toda a magia daquele concerto, os Orelha Negra fecharam-no com “M.I.R.I.A.M.”, uma das músicas, se não a mais, aclamada, fazendo com que todos os aplaudissem a uma só voz, como se de um coro se tratasse.

Descem das suas posições, juntam-se, cumprimentam-se e abraçam-se. Olham para o público fixamente antes de fazer uma vénia, com o sentimento de missão mais do que cumprida. Foi um regresso que cumpriu com as expectativas. Que seja o primeiro de muitos este ano.

por
em Reportagens

Orelha Negra @ Hard Club - Porto [30Jan2016] Texto + Fotos
Queres receber novidades?
Comentários
http://www.MOTORdoctor.PT
Contactos
WAV | 2018
Facebook WAV Twitter WAV Youtube WAV Flickr WAV RSS WAV
Queres receber novidades?