19
TER
20
QUA
21
QUI
22
SEX
23
SAB
24
DOM
25
SEG
26
TER
27
QUA
28
QUI
29
SEX
30
SAB
1
DOM
2
SEG
3
TER
4
QUA
5
QUI
6
SEX
7
SAB
8
DOM
9
SEG
10
TER
11
QUA
12
QUI
13
SEX
14
SAB
15
DOM
16
SEG
17
TER
18
QUA
19
QUI

[Reportagem] Vodafone Paredes de Coura 2014

02 de Setembro, 2014 ReportagensBruno Pereira

Partilhar no Facebook Partilhar no Google+ Partilhar no Twitter Partilhar no Tumblr
Vodafone Paredes de Coura

Reverence Festival Valada 2014 - Fotogalerias

[Reportagem] Fusing Culture Experience 2014
// function reportagem_aparecer(idreport) { document.getElementById("report_" + idreport).style.display = "block"; for(i=0;i




20 de Agosto (Dia 1)



vdfpdc2014_copyright_hugo-lima-029


Um ano depois, Paredes de Coura está de volta. O festival mais apaixonado e apaixonante a nível nacional trouxe em 2014 um número recorde de pessoas. Entre estreantes e saudosistas, o público mostrava-se, apesar de tudo, mais jovem do que o habitual, muito por culpa de uma cada vez maior divulgação e mistificação do festival.


Coube a Capicua, abrir a edição deste ano do Vodafone Paredes de Coura. Ana Matos superou o ''perigo'' de ser o primeiro nome do dia e à terceira música já haviam pessoas suficientes para não deixarem o anfiteatro de Coura ao descoberto. Capicua soube como lidar com o público, ela que já conta com uma rodagem boa de festivais e está a ter um ano de 2014 em pleno. O seu alinhamento não teve grandes surpresas, que já era de esperar, mas não foi isso que tirou mérito ao espetáculo que a rapper proporcionou. Acompanhada por M7 e D1, Capicua fez o que melhor sabe fazer durante cerca de 30 minutos, um concerto intenso que até fez levantar os braços aos não amantes do género.

[Best_Wordpress_Gallery gallery_type="thumbnails" theme_id="1" gallery_id="141" sort_by="order" order_by="desc" show_search_box="0" search_box_width="180" image_column_number="5" images_per_page="30" image_title="none" image_enable_page="1" thumb_width="180" thumb_height="90" thumb_click_action="undefined" thumb_link_target="undefined" popup_fullscreen="0" popup_autoplay="0" popup_width="800" popup_height="500" popup_effect="fade" popup_interval="5" popup_enable_filmstrip="1" popup_filmstrip_height="70" popup_enable_ctrl_btn="1" popup_enable_fullscreen="1" popup_enable_info="1" popup_info_always_show="0" popup_enable_rate="0" popup_enable_comment="1" popup_hit_counter="0" popup_enable_facebook="1" popup_enable_twitter="1" popup_enable_google="1" popup_enable_pinterest="0" popup_enable_tumblr="0" watermark_type="none" watermark_link="http://web-dorado.com"]

Num dia de receção ao campista com bastante afluência, os Cage The Elephant, liderados por um Matthew Schultz visivelmente surpreendido com a quantidade de público presente, presentearam a plateia com um concerto energético. Contando com canções como “Aberdeen ou “Shake Me Down no alinhamento, e passando por géneros como o indie e o punk, este foi um dos bons concertos deste primeiro dia, terminando em grande com crowdsurfing por parte de Matthew, já em tronco nu e depois de ter dito ao público que a banda estava a adorar a sua primeira experiência em Portugal.

[Best_Wordpress_Gallery gallery_type="thumbnails" theme_id="1" gallery_id="142" sort_by="order" order_by="desc" show_search_box="0" search_box_width="180" image_column_number="5" images_per_page="30" image_title="none" image_enable_page="1" thumb_width="180" thumb_height="90" thumb_click_action="undefined" thumb_link_target="undefined" popup_fullscreen="0" popup_autoplay="0" popup_width="800" popup_height="500" popup_effect="fade" popup_interval="5" popup_enable_filmstrip="1" popup_filmstrip_height="70" popup_enable_ctrl_btn="1" popup_enable_fullscreen="1" popup_enable_info="1" popup_info_always_show="0" popup_enable_rate="0" popup_enable_comment="1" popup_hit_counter="0" popup_enable_facebook="1" popup_enable_twitter="1" popup_enable_google="1" popup_enable_pinterest="0" popup_enable_tumblr="0" watermark_type="none" watermark_link="http://web-dorado.com"]

Depois de um enérgico concerto de Cage The Elephant, segue-se o Funk e a soul de Janelle Monáe. A artista surpreendeu tudo e todos ao trazer um espetáculo muito bem encenado que não se limitava ao típico ''debitanço de musica''. Janelle Monáe trouxe-nos um concerto teatral que visava simular uma pessoa que tinha saído do hospício e ''invadiu'' o palco para cantar enquanto tentava escapar dos seguranças... isto tudo acontecia em palco. Janelle Monáe divertiu o público durante mais de hora e meia de concerto, concerto esse que contou com dois encores. Houve tempo para um cover de James Brown, agradecimentos divinos, apelos à paz mundial e para cantorias com o público, “Electric Lady” não deixou ninguém indiferente. “Cold War” deixou todos perplexos, “Let's Go Crazy” (já no encore) fez jus ao seu título e “Come Alive (The War Of The Roses)” encerrou o primeiro encore. Porém, a artista regressou aos palcos, após uma demorada espera, apanhando todos de surpresa, e lançou-se a “What An Experience” para encerrar definitivamente a sua atuação, proporcionando um momento engraçado, quando os supostos seguranças do hospício a arrastam para dentro enquanto ela terminava a canção. Janelle Monáe cumpriu com tudo o que se pedia para um primeiro dia, proporcionando um dos momentos mais engraçados de todo o festival. Se voltar, é a não perder, pois esta menina sabe bem o que faz.

[Best_Wordpress_Gallery gallery_type="thumbnails" theme_id="1" gallery_id="143" sort_by="order" order_by="desc" show_search_box="0" search_box_width="180" image_column_number="5" images_per_page="30" image_title="none" image_enable_page="1" thumb_width="180" thumb_height="90" thumb_click_action="undefined" thumb_link_target="undefined" popup_fullscreen="0" popup_autoplay="0" popup_width="800" popup_height="500" popup_effect="fade" popup_interval="5" popup_enable_filmstrip="1" popup_filmstrip_height="70" popup_enable_ctrl_btn="1" popup_enable_fullscreen="1" popup_enable_info="1" popup_info_always_show="0" popup_enable_rate="0" popup_enable_comment="1" popup_hit_counter="0" popup_enable_facebook="1" popup_enable_twitter="1" popup_enable_google="1" popup_enable_pinterest="0" popup_enable_tumblr="0" watermark_type="none" watermark_link="http://web-dorado.com"]

Para fechar o alinhamento do palco principal do dia de abertura oficial do Vodafone Paredes de Coura 2014, subiram ao palco os londrinos Public Service Broadcasting. Apesar de claramente deslocados de um ambiente propício a que a sua música funcionasse, num palco demasiadamente grande em frente ao qual se juntava um público maioritariamente desinteressado, a dupla britânica deu um concerto muito competente: Wrigglesworth na bateria e Willgoose no banjo, nas electrónicas e na guitarra musicaram de forma cerebral, cirúrgica e com muita atenção aos detalhes, imagens de filmes pré-anos 70 (alguns deles até do início do século XX), sendo este especto cinemático da música o principal fator distintivo da banda. Passando por músicas de uma electrónica mais comum a outras de um simples rock instrumental acompanhado de falas de cinema, "Everest", último dos temas interpretados, revelou-se uma autêntica malha de pós-rock que deixa muita água na boca para o que poderá vir deste duo de geeks que se afirmou como a primeira grande surpresa do festival.

[Best_Wordpress_Gallery gallery_type="thumbnails" theme_id="1" gallery_id="144" sort_by="order" order_by="desc" show_search_box="0" search_box_width="180" image_column_number="5" images_per_page="30" image_title="none" image_enable_page="1" thumb_width="180" thumb_height="90" thumb_click_action="undefined" thumb_link_target="undefined" popup_fullscreen="0" popup_autoplay="0" popup_width="800" popup_height="500" popup_effect="fade" popup_interval="5" popup_enable_filmstrip="1" popup_filmstrip_height="70" popup_enable_ctrl_btn="1" popup_enable_fullscreen="1" popup_enable_info="1" popup_info_always_show="0" popup_enable_rate="0" popup_enable_comment="1" popup_hit_counter="0" popup_enable_facebook="1" popup_enable_twitter="1" popup_enable_google="1" popup_enable_pinterest="0" popup_enable_tumblr="0" watermark_type="none" watermark_link="http://web-dorado.com"]
Texto por Bruno Pereira, Diogo Oliveira, Joana Brites, Luis Sobrado e Pedro Francisco
Fotografias oficiais do Vodafone Paredes de Coura por Hugo Lima









por
em Reportagens

[Reportagem] Vodafone Paredes de Coura 2014
Queres receber novidades?
Comentários
http://www.MOTORdoctor.PT
Contactos
WAV | 2019
Facebook WAV Twitter WAV Youtube WAV Flickr WAV RSS WAV
Queres receber novidades?