23
DOM
24
SEG
25
TER
26
QUA
27
QUI
28
SEX
29
SAB
30
DOM
1
SEG
2
TER
3
QUA
4
QUI
5
SEX
6
SAB
7
DOM
8
SEG
9
TER
10
QUA
11
QUI
12
SEX
13
SAB
14
DOM
15
SEG
16
TER
17
QUA
18
QUI
19
SEX
20
SAB
21
DOM
22
SEG
23
TER

Russian Circles + Helms Alee @ RCA Club - Lisboa [16Abr2015] Texto + Fotos

18 de Abril, 2015 ReportagensDiogo Alexandre

Partilhar no Facebook Partilhar no Google+ Partilhar no Twitter Partilhar no Tumblr

Dreamweapon @ Maus Hábitos - Porto [17Abr2015] Foto-reportagem

Lisbon Psych Fest 2015 - Lisboa [10/11Abr2015] Texto + Fotos
russian circles bw-8_DONE

Às 21h em ponto, a lotação do RCA já estava bem composta, porém, a fila para a entrada no recinto ainda ia até ao final da rua. Fila essa que só se dissolveu pouco antes da banda de abertura terminar a sua atuação.

Com a sala sensivelmente a dois terços da lotação total, subiram ao palco os Helms Alee, power-trio raçado de Stoner/Sludge que prometia muito e cumpriu pouco. O som estava péssimo: o poder do baixo perdeu-se completamente e som da guitarra transformou-se numa enorme bola de buzz. O que saltava mais à vista era o sorriso da simpática baterista e cantora, não muito técnica, que lá ia fazendo a locomotiva andar. A interação também não foi muita, às tantas o espírito perdeu-se e algum público preferiu sair da sala para ir meter a conversa em dia. Os Helms Alee são dotados de uma sonoridade bastante interessante mas que, claramente, não resultou nesta quinta-feira. O que poderia ter sido um memorável concerto não passou de um mediano, com muita pena nossa.



Estamos em Portugal: o público pagante só se interessa pela banda grande e nada mais. Se ainda se desconfiava, ficou nítido neste dia. Aquando do enobrecimento da sala, com uma sonoridade Drone no background e com as máquinas de fumo a fazerem a sua magia, a audiência entra no local, enchendo-o por completo, de forma incomparável. Não temos memória de ver o RCA tão cheio.

Quinze minutos depois de viajarmos por entre a neblina, Mike Sullivan, Dave Turncrantz e Brian Cook, entram quase em simultâneo, interpretando de imediato “Deficit”, ainda com os apupos do público audíveis. Foi uma hora e um quarto sem pausas, parando a viagem apenas para o clássico encore. Ouviram-se temas como “Harper Lewis”, “Geneva”, “Mládek” ou “Death Rides A Horse”, sempre com o público fazendo headbang e “cantando” todos os seus instrumentais. Uma banda que, definitivamente, merece o público que tem e todo o hype gerado em torno desta.

Para o encore ficou reservada “Youngblood”, música de quase 8 minutos que fez os presentes delirar e agitarem-se mais que nunca. O público ainda pediu mais uma mas o DJ do RCA não deu tréguas e entrou em ação quase imediatamente.

Os músicos subiram ao palco novamente, não sendo para tocar (pena!) mas sim para dar mais atenção aos seus fãs e admiradores, assinando discos, bilhetes, falando sobre pedais, recebendo conselhos, tudo e mais alguma coisa. Uma banda bastante humilde, fazendo-nos pensar que se todas as bandas tivessem esta atitude, a música era muito mais gratificante.

Saímos do RCA felizes, vimos um excelente concerto, mais uma excelente noite com selo da promotora Amplificasom, fizémos amigos novos e falámos com conhecidos com os quais já não falávamos há meses. Uma quinta-feira feliz, pois não é todos os dias que se vê os Russian Circles e se pode falar com Brian Cook (também membro dos Botch e dos These Arms Are Snakes) sobre música e outros encantos.

Se gostam de pós-rock/pós-metal e não sabem se hão-de pagar para ver estes “russos”, podem fazê-lo. Acreditem que vale o dinheiro.

por
em Reportagens

Russian Circles + Helms Alee @ RCA Club - Lisboa [16Abr2015] Texto + Fotos
Queres receber novidades?
Comentários
http://www.MOTORdoctor.PT
Contactos
WAV | 2018
Facebook WAV Twitter WAV Youtube WAV Flickr WAV RSS WAV
Queres receber novidades?