15
QUI
16
SEX
17
SAB
18
DOM
19
SEG
20
TER
21
QUA
22
QUI
23
SEX
24
SAB
25
DOM
26
SEG
27
TER
28
QUA
29
QUI
30
SEX
1
SAB
2
DOM
3
SEG
4
TER
5
QUA
6
QUI
7
SEX
8
SAB
9
DOM
10
SEG
11
TER
12
QUA
13
QUI
14
SEX
15
SAB

Sleaford Mods - Hard Club, Porto [16Abr2018] Texto + Fotos

22 de Abril, 2018 ReportagensJorge Alves

Presença regular em Portugal, os Sleaford Mods regressaram ao nosso país, desta vez em nome próprio e num registo mais próximo e intimista que originou um ambiente (ainda) mais selvagem e intenso do que o habitual.

Partilhar no Facebook Partilhar no Google+ Partilhar no Twitter Partilhar no Tumblr
Hard Club

Monolithic Fest [14Abr2018] Fotogalerias

Super Nova c/ Sunflowers, Scúru Fitchádu e Stone Dead - Maus Hábitos, Porto [7Abr2018] Texto + Fotos
Se em 2017, quando atuaram no NOS Primavera Sound, tinham acabado de editar “English Tapas”, atualmente acrescentam simplesmente novos capítulos ao ciclo de promoção desse mesmo disco; no entanto, a julgar pela sala cheia numa noite de segunda-feira, a popularidade do carismático duo de Nottingham não é minimamente afetada pela ausência de novidades discográficas. O que interessa é sentir na pele estas malhas robustas, feitas de baixos pulsantes e batidas tão densas quanto dançáveis, interpretadas a um ritmo frenético e espelhando um inegável sentimento de urgência, não fossem os Sleaford Mods observadores minuciosos da decadência moral que assola a sociedade atual. Não o fazem de forma cuidada ou subtil, mas sim sem papas na língua como dois comentadores de pub indignados com as notícias que vêem na TV. Recusam o título de banda do povo, mas a verdade é que dão voz à classe trabalhadora, abordando de forma direta e genuína muitas das mesmas preocupações e experiências. Mesmo em palco, a postura que adotam é descontraída e descomprometida: não exibem a atitude arrogante e distante típica de tantas estrelas de rock, preferindo colocar-se ao mesmo nível da audiência e estabelecendo assim uma relação desprovida de barreiras.

O espetáculo que apresentam é, de resto, um dos mais originais e dinâmicos no panorama musical dos dias de hoje: enquanto Andrew Fearn reproduz as batidas criadas em estúdio através do portátil que tem à sua frente, dançando e bebendo cerveja à medida que a base instrumental preenche todos os cantos da sala escura do Hard Club, Jason Williamson desempenha eficazmente o papel de frontman tão inquieto como bem-humorado, ora cantando (por vezes berrando) mensagens carregadas de descontentamento social, ora fazendo piadas de cariz sexual com o nome da sala onde a sua banda se encontrava a atuar (tem “hard” no nome, afinal de contas). Ambas as facetas dessa personalidade fazem sentido no mundo do coletivo britânico, um lugar onde a seriedade e a brejeirice convivem e misturam-se. Poderá soar estranho, mas tudo nos Sleaford Mods é pouco usual, incluindo o próprio som que praticam. Irreverência punk, atmosfera hip-hop e a essência do post-punk num só universo musical, resultando em poderosas malhas de tons minimalistas, manifestações sonoras pujantes que despertam em nós reações de entusiasmo desenfreado. Olhávamos à nossa volta e víamos pessoas a dançar ou a saltar enquanto temas como “Army Nights”, “Just Like We Do”, “Drayton Manored” ou “ B.H.S.” eram debitados com uma fúria assombrosa. Pode não ter havido guitarras, mas esta noite constituiu uma das mais impressionantes e ferozes sessões de rock ao qual já assistimos.

Na primeira parte, O Gringo Sou Eu, projeto liderado por Frankão, músico brasileiro atualmente a residir no nosso país, tratou de aquecer uma plateia já muito bem composta através de uma sonoridade enérgica e animada onde convergem ritmos exóticos e hip-hop de intervenção, tudo isto acompanhado de um grande sentido de humor. Magnífico mestre de cerimónias, conquistou os presentes com uma atuação verdadeiramente empolgante que teve como ponto alto a participação das Tukbatuk, grupo feminino de jovens vimaranenses que se serviram da percussão (onde se incluiu o uso de objectos do quotidiano) para invocar o espírito do samba e, sobretudo, da criatividade em tempos de austeridade.

Sleaford Mods e O Gringo Sou Eu
por
em Reportagens
fotografia Inês Leal

Sleaford Mods - Hard Club, Porto [16Abr2018] Texto + Fotos
Queres receber novidades?
Comentários
http://www.MOTORdoctor.PT
Contactos
WAV | 2018
Facebook WAV Twitter WAV Youtube WAV Flickr WAV RSS WAV
Queres receber novidades?