16
TER
17
QUA
18
QUI
19
SEX
20
SAB
21
DOM
22
SEG
23
TER
24
QUA
25
QUI
26
SEX
27
SAB
28
DOM
29
SEG
30
TER
31
QUA
1
QUI
2
SEX
3
SAB
4
DOM
5
SEG
6
TER
7
QUA
8
QUI
9
SEX
10
SAB
11
DOM
12
SEG
13
TER
14
QUA
15
QUI
16
SEX

Walter Benjamin @Lux [12Dez2014]

17 de Dezembro, 2014 ReportagensDiogo Alexandre

Partilhar no Facebook Partilhar no Google+ Partilhar no Twitter Partilhar no Tumblr
Lux Frágil

Soviet Soviet @Sabotage Club - Lisboa [14Jan2015] Texto+Fotos

Barreiro Rocks, o festival das boas malhas

DSC05168_DONE


 

A Morte De Walter Benjamin


 
Passados cinco dias após o seu enterro (o de 2014 e não o de 1940) podemos afirmar, categoricamente, que vamos ter muitas saudades deste nosso Walter (ou Luís para os amigos). Foram 6 anos de música que, por certo, marcaram a vida leve ou fortemente de algumas pessoas. Esta foi a última vez que ouvimos ao vivo “Airports and Broken Hearts”, “Our Imaginary House”, “Twenty Four”, entre outras... (esperemos que não).

O local reservado para o “funeral” foi o Lux Frágil, a discoteca à beira-rio que tão bem serviu este cortejo triste e alegre ao mesmo tempo, um cortejo que nos deixa com aquele sabor agridoce na boca tão característico e tão indescritível. Marcado para as 23h, o funeral só se iniciou meia-hora depois: vemos os coveiros (que não eram poucos) a afinarem as guitarras e tantos outros instrumentos, ao todo eram 17 em cima do palco. Foi ao som de “Our Imaginary Love” que tudo começou, uma música calminha que serviu bem o propósito. A sala não estava cheia mas pouco faltava para isso, os corpos balbuciantes acompanhavam as primeiras músicas calmamente como se de uma procissão se tratasse. Foi apenas após os agradecimentos por parte do 'padre' (a Vera Marmelo – que fazia anos nesse dia – e a tantos outros) que o público se soltou das amarras da morte e começou a celebrar à boa maneira tribal abandonando por completo todos os vestígios de cultura ocidental que lhes tingia a alma. A festa começou!

“Airports and Broken Hearts” é tocada já em clima tropical e a temperatura foi subindo à medida que o tempo passava. “Drive Anyway” foi tocada pela primeira e última vez, nada (ou quase nada) ficou por tocar. “Highspeed Love” e “Mary” foram guardadas para o final da cerimónia, porém, seria “We Might Never Fall in Love”, já no encore, a matar por completo o artista: foram saltos (muitos), foram gritos, e foi crowdsurf por parte do padre Luís que (des)orientava esta paróquia.

Podemos garantir que este foi o melhor funeral em que já estivémos! E Walter: This ain't our last dance!!!

por
em Reportagens

Walter Benjamin @Lux [12Dez2014]
Queres receber novidades?
Comentários
http://www.MOTORdoctor.PT
Contactos
WAV | 2018
Facebook WAV Twitter WAV Youtube WAV Flickr WAV RSS WAV
Queres receber novidades?