21
QUA
22
QUI
23
SEX
24
SAB
25
DOM
26
SEG
27
TER
28
QUA
29
QUI
30
SEX
1
SAB
2
DOM
3
SEG
4
TER
5
QUA
6
QUI
7
SEX
8
SAB
9
DOM
10
SEG
11
TER
12
QUA
13
QUI
14
SEX
15
SAB
16
DOM
17
SEG
18
TER
19
QUA
20
QUI
21
SEX

Death Cab For Cutie - Kintsugi

Review
Death Cab For Cutie Kintsugi | 2015
Joao Rodrigues 14 de Maio, 2015
Partilhar no Facebook Partilhar no Google+ Partilhar no Twitter Partilhar no Tumblr

Alabama Shakes - Sound & Color

Pyramids - A Northern Meadow

Com quase 20 anos de existência, os Death Cab For Cutie já não são novidade para ninguém. Kintsugi, último álbum da banda de Ben Gibbard, não nos traz grande coisa de novo, com o seu indie pop/rock sempre presente a lembrar bandas como os U2 ou Placebo.

Começamos bem com “No Room in Frame”, com os seus riffs de guitarra numa canção de sentido pop e refrão orelhudo. “Black Sun” mostra-nos um pop/rock mais sombrio, com o riff de guitarra a marcar a música e com uma profundidade dada pelos sintetizadores que quase nos transportam para o ambiental. Com “The Ghosts Of Beverly Drive” e “Little Wanderer” temos duas músicas que em nada fogem ao registo de Death Cab for Cutie. Muita Guitarra e percussão, back vocals, baixo, sintetizadores. Não falta nada.

De guitarra acústica a fazer lembrar Johnny Cash entra “You’ve Haunted Me All My Life”, que é a ponte perfeita para o folk de “Hold No Gun”, uma música tipicamente anti-guerra (seja ela uma guerra mundialmente importante ou de cariz pessoal). A pop com toque electrónico de “Everything’s a Ceiling” e “Good Help (Is So Hard To Find)” foge à regra de todo o álbum. As guitarras não são tão evidentes e os sintetizadores expandem-se em força, num resultado entusiasmante. O indie rock está de volta com “El Dorado”, voltando também a a essência dos Death Cab for Cutie. “Ingenue” é, para mim, a melhor música. Os “la la la’s” constantes e permanentes embalam-nos naquela que tem todos os condimentos de uma boa canção rock.

O álbum termina com “Binary Sea”, onde o piano dá o mote para uma balada acústica que não é propriamente marcante, mas que é uma boa forma de fechar o registo sem grandes surpresas. Kintsugi não é muito diferente dos outros trabalhos dos Death Cab For Cutie. É seguro e ouve-se bem, mas não é impactante. Não é um álbum que marque, que fique no ouvido, ou que se possa dizer que tenha uma grande música. Tem coisas positivas e é um álbum consistente, mas quem ouve Kintsugi já está a pensar no próximo.
por
em Reviews

Death Cab For Cutie - Kintsugi
Queres receber novidades?
Comentários
http://www.MOTORdoctor.PT
Contactos
WAV | 2018
Facebook WAV Twitter WAV Youtube WAV Flickr WAV RSS WAV
Queres receber novidades?