12
TER
13
QUA
14
QUI
15
SEX
16
SAB
17
DOM
18
SEG
19
TER
20
QUA
21
QUI
22
SEX
23
SAB
24
DOM
25
SEG
26
TER
27
QUA
28
QUI
29
SEX
30
SAB
1
DOM
2
SEG
3
TER
4
QUA
5
QUI
6
SEX
7
SAB
8
DOM
9
SEG
10
TER
11
QUA
12
QUI

Foxygen - ...And Star Power

Review
Foxygen ...And Star Power | 2014
Francisco Silva 04 de Novembro, 2014
Partilhar no Facebook Partilhar no Google+ Partilhar no Twitter Partilhar no Tumblr

Shabazz Palaces - Lese Majesty

FKA twigs - LP 1
Os Foxygen, desde a primeira vez que os ouvi, uns meses antes do lançamento de We Are the 21st Century Ambassadors of Peace & Magic, sempre que me pareceram uma banda diferente, controversa, distorcida de alguma forma. Se nesse álbum, a primeira parte de uma espécie de duplo álbum, aparecem sólidos e com ideias mais delimitadas. Neste …And Star Power, um irmão bastardo, estão bem visíveis os problemas pelos quais a banda passou num passado mais recente, desde o cancelamento de uma tour a cenas menos bonitas entre Sam France e membros do público, por exemplo.

Adoro a forma como incorporam várias influências de artistas - como Beatles, em “Brooklyn Police Station” ou em “Cosmic Vibrations”, ou ainda Lou Reed em “Cold Winter/Freedom” ou Rolling Stones em “Can’t Contextualize My Mind” - nas suas músicas sem que estas pareçam antigas. É uma coisa que não muitas bandas conseguem fazer. Também é de realçar a capacidade da banda em introduzir muitos outros instrumentos, alguns quase impercetíveis, sobretudo na segunda metade do álbum, onde se nota mais facilmente as influências de Noise, ou ainda a introdução de gravações, por vezes perturbadoras. Por exemplo, em “Cold Winter/Freedom”, de crianças a murmurar sobre… nem sei dizer sobre o quê, seguidas uma espécie de Drone. Acho que tudo isso acrescenta dimensão ao álbum e torna-o bastante ambicioso. Ou “I Don’t Have Anything/The Gate” e “The Game” que têm bastantes influências de Pop Psicadélico, fazendo-me lembrar o Love de Amen Dunes – um excelente álbum deste ano – em que a música é basicamente à volta de uma voz a murmurar. Ou “Coulda Been My Love” em que a guitarra está simplesmente a vaguear com um baixo que assume o controlo enquanto o Sam canta sobre quem toma as rédeas numa relação.

Outra das minhas favoritas aqui é claramente a “Star Power III: What Are We Good For”. Começa com uma intro muito mexida, depois uma gravação de Kevin Barnes dos Of Montreal e continua num refrão com o baixo extremamente preponderante e as back up voices. A irregularidade, a estrutura da música e aquele solo todo distorcido no final, a convergir na “Ooh Ooh” assenta na perfeição.

No cômputo geral, …And Star Power é um álbum em que é bem percetível que algo ali “não está bem”. O que não é necessariamente mau, bem pelo contrário. Adoro a falta de regras deste álbum. Adoro a luxúria, a classe, a loucura. Nalguns momentos, quase que consigo imaginar a banda num backstage todo requintado e decorado, a mandar ácidos e sabe-se lá mais o quê. É esta combinação que torna o álbum tão apelativo. Nalgumas músicas, loucura pura, noutras, alguma timidez e requinte.
por
em Reviews

Foxygen - ...And Star Power
Queres receber novidades?
Comentários
http://www.MOTORdoctor.PT
Contactos
WAV | 2019
Facebook WAV Twitter WAV Youtube WAV Flickr WAV RSS WAV
Queres receber novidades?