24
SEG
25
TER
26
QUA
27
QUI
28
SEX
29
SAB
30
DOM
1
SEG
2
TER
3
QUA
4
QUI
5
SEX
6
SAB
7
DOM
8
SEG
9
TER
10
QUA
11
QUI
12
SEX
13
SAB
14
DOM
15
SEG
16
TER
17
QUA
18
QUI
19
SEX
20
SAB
21
DOM
22
SEG
23
TER
24
QUA

James Blake – The Colour In Anything

Review
James Blake The Colour In Anything | 2016
Rui Campos 29 de Junho, 2016
Partilhar no Facebook Partilhar no Google+ Partilhar no Twitter Partilhar no Tumblr

Nick Cave & The Bad Seeds – Skeleton Tree

Anderson .Paak - Malibu


 

James Blake está de volta. Após dois álbuns de sucesso e experimentação dentro do estilo R&B, colaborações com artistas de renome e 3 anos muitos discretos da sua carreira, Blake decide lançar The Colour In Anything, um álbum constituído por 17 faixas e com uma duração de 76 minutos. Será este o projeto mais ambicioso do artista? Bem, não exatamente.

Este disco, apesar da sua duração, até é bastante modesto e fiel ao estilo já conhecido dos seus trabalhos anteriores, por exemplo no seu homónimo de 2011 e de Overgrown lançado em 2013. As composições abstratas e a voz vulnerável continuam presentes. O que destaca este álbum em relação aos anteriores é a sua própria estrutura. É-nos apresentado um conjunto de músicas que transitam de uma para outra sem qualquer elemento de ligação, uma compilação de ideias soltas e, sinceramente, isso agrada-me. Toda esta fragmentação e entropia musical acrescenta alguma paranoia e ecleticismo à personalidade do produtor britânico. Enquanto nos registos anteriores tivemos um James Blake que apostava imenso na sua produção e nos ritmos, neste temos uma maior exploração de melodias e um vocalista destemido a demonstrar do que é capaz, sem se preocupar tanto com estrutura e ambiente. Resultado? O melhor disco de Blake.

The Colour In Anything apresenta-nos canções extremamente emotivas, como “Radio Silence”, “Choose Me”, “My Willing Heart”, “I Need A Forest Fire” (com Bon Iver), “Always”, assim como faixas completamente bizarras como “Points”, “Two Men Down” e “I Hope My Life”. Mas a estrutura de uma boa música pop não é sacrificada neste álbum, como é demonstrado em “Put That Away And Talk To Me”, com a repetição constante do verso que intitula a própria faixa, que simplesmente fica no ouvido (o que pode ser terrível para quem não gostar da música de James e/ou do disco).

Os ritmos são bastante simples, provavelmente influenciados por hip hop, até porque Kanye West tentou contribuir com instrumentais na faixa “Timeless”, mas sem sucesso. Contudo, as melodias são a essência do álbum. James Blake, para além de fazer um excelente trabalho no piano, também, desta vez, canta apaixonadamente e com alguma energia, sendo Frank Ocean uma das principais influências. Sintetizadores e samples de vocais também são elementos importantíssimos, desde latidos acompanhados por sintetizadores e instrumentos de sopro que vão agravando o clímax da “Two Men Down”, baladas de piano como na faixa-título, recorrência a feedback (ou o que quer que aquilo seja) nas faixas “Points” e “Timeless”, a modulação vocal na “Meet You In The Maze”, etc. Os conteúdos líricos são os do costume, contudo. Apesar destes serem muitas vezes abstratos, claramente abordam temas como o amor e a insegurança. Este disco consegue ter momentos de pura tristeza e outros de elevação espiritual que nem sempre é comum encontrar dentro do género R&B e os vocais de Blake reforçam essas qualidades, com uma voz genuína e aperfeiçoada.

No geral, The Colour In Anything é um disco imprevisível, mas agradável. Não é acessível e até pode desafiar os mais dedicados fãs, todavia, certamente irá agradar a muitos outros. Não é o disco mais inovador dentro do género, nem o mais emotivo, mas é uma boa junção de ambas qualidades, com excelente produção e exploração de sonoridades que só podia vir da mente de James Blake: uma experiência musical confusa e caótica para quem espera um fim claro e relaxante.
por
em Reviews

James Blake – The Colour In Anything
Queres receber novidades?
Comentários
http://www.MOTORdoctor.PT
Contactos
WAV | 2018
Facebook WAV Twitter WAV Youtube WAV Flickr WAV RSS WAV
Queres receber novidades?