21
SAB
Soen
RCA Club - Lisboa
Dollar Llama
Bafo de Baco - Loulé
!!! (Chk Chk Chk)
Hard Club - Porto
The Parkinsons + Killimanjaro + Ermo
Carmo 81 - Viseu
Cows Caos + The Brooms
Centro Cultural - Cartaxo
Earth Drive + Vircator
SIRB Os Penicheiros - Barreiro
22
DOM
23
SEG
24
TER
Mallu Magalhães
Teatro Tivoli BBVA - Lisboa
Jameson Urban Routes (Dia 1)
Musicbox - Lisboa
25
QUA
Drew McDowall
Galeria Zé dos Bois - Lisboa
Steve Hauschildt + Jari Marjamaki
Igreja de St. George - Lisboa
Jameson Urban Routes (Dia 2)
Musicbox - Lisboa
26
QUI
Jameson Urban Routes (Dia 3)
Musicbox - Lisboa
Nouvelle Vague
Aula Magna - Lisboa
Black Bombaim & Peter Brötzmann
Passos Manuel - Porto
27
SEX
Os Courettes
Cave 45 - Porto
Semibreve 2017 (Dia 1)
Theatro Circo / gnration - Braga
Jameson Urban Routes (Dia 4)
Musicbox - Lisboa
Nouvelle Vague
Convento de São Francisco - Coimbra
For The Glory + Destroyers Of All
DRAC - Figueira da Foz
Noiserv
Teatro José Lúcio da Silva - Leiria
28
SAB
Semibreve 2017 (Dia 2)
Theatro Circo / gnration - Braga
The National
Coliseu dos Recreios - Lisboa
Royal Blood
Campo Pequeno - Lisboa
Jameson Urban Routes (Dia 5)
Musicbox - Lisboa
Black Lips
Maus Hábitos - Porto
Mark Eitzel
Auditório - Espinho
The Parkinsons + Killimanjaro + Ermo
SHE - Évora
29
DOM
And So I Watch You From Afar
Hard Club - Porto
Semibreve 2017 (Dia 3)
Theatro Circo - Braga
Mark Eitzel
Galeria Zé dos Bois - Lisboa
Nouvelle Vague
Casa da Música - Porto
Alter Bridge
Coliseu dos Recreios - Lisboa
30
SEG
And So I Watch You From Afar
Musicbox - Lisboa
Shields
Stairway Club - Cascais
Metronomy
Coliseu dos Recreios - Lisboa
Moonspell
Lisboa ao Vivo - Lisboa
31
TER
John Maus
Maus Hábitos - Porto
Moonspell
Lisboa ao Vivo - Lisboa
Shabazz Palaces
Lux Frágil - Lisboa
1
QUA
2
QUI
Shabazz Palaces + Ângela Polícia
gnration - Braga
Omnium Gatherum + Skálmöld + Stam1na
Hard Club - Porto
3
SEX
TOPS
Maus Hábitos - Porto
Omnium Gatherum + Skálmöld + Stam1na
RCA Club - Lisboa
4
SAB
The Band of Holy Joy
Cave 45 - Porto
5
DOM
6
SEG
The Goddamn Gallows
Stairway Club - Cascais
7
TER
8
QUA
The Bug Vs Dylan Carlson of Earth
gnration - Braga
9
QUI
10
SEX
11
SAB
12
DOM
Dying Fetus + Psycroptic + Beyond Creation + Disentomb
Lisboa ao Vivo - Lisboa
13
SEG
Lamb
Coliseu do Porto
14
TER
Lamb
Coliseu dos Recreios - Lisboa
15
QUA
16
QUI
Black Bass - Évora Fest (Dia 1)
Sociedade Harmonia Eborense - Évora
The Picturebooks
Sabotage Club - Lisboa
Spoon
Coliseu do Porto
17
SEX
Fai Baba
Maus Hábitos - Porto
Sinistro
Hard Club - Porto
Hercules & Love Affair
Lux Frágil - Lisboa
Spoon
Coliseu dos Recreios - Lisboa
18
SAB
The Fall + 10 000 Russos
Hard Club - Porto
Sinistro
Le Baron Rouge - Amadora
19
DOM
20
SEG
Father John Misty + Weyes Blood
Coliseu dos Recreios - Lisboa
21
TER
Epica + Vuur + Myrath
Sala Tejo (MEO Arena) - Lisboa
Review
The Poppers Lucifer | 2017
Hugo Fresta 30 de Março, 2017
Partilhar no Facebook Partilhar no Google+ Partilhar no Twitter Partilhar no Tumblr


 

Os The Poppers não são desconhecidos para quem tem acompanhado a cena rock n’ roll portuguesa dos últimos anos. Além de possuírem uma sonoridade bastante própria, o seu estilo sai enriquecido devido à multiplicidade de experiências que os membros da banda possuem devido ao facto de fazerem também parte de outros projetos (Keep Razors Sharp e Born a Lion à cabeça).

O terceiro álbum dos The Poppers, intitulado Lucifer, surge após um longo período de espera. A banda tinha-se proposto a gravar o sucessor de Up With Lust  (2010) em Londres, com recurso a uma campanha de crowdfunding e, efetivamente, levou essa gravação até ao fim. No entanto, Luís “Rai” Raimundo, frontman da banda, admitiu recentemente em entrevista à BLITZ que “o disco esteve realmente pronto e gravado, mas não me identifiquei com ele”. Lucifer é um produto da consequente reflexão interna e alterações que foram acontecendo na banda, como por exemplo a chegada do novo baixista Bruno Cantanhede (Kid Richards).

Este novo álbum é uma lição de rock n’ roll bem dada e nele encontramos temas que conseguem chegar a várias vertentes do género e aos mais diversos estados de espírito. Viajamos desde o rock mais elaborado ao mais cru, do mais clean ao mais fuzz. Pegue-se por exemplo no tema “Peyote”, conseguimos ver a facilidade da banda em tornar o complexo bastante simples, ouvir cada nota que se sobrepõe ao riff inicial, sempre acompanhados pela coesão oferecida pelo baixo e ritmo certeiro da bateria. Mas para termos completa noção da amplitude de sons de Lucifer basta confrontar “In The Morning” com “Modern Wasteland”, ou “Like Dust” com “Time Aims”, notamos a facilidade que os The Poppers possuem de se reconfigurar para transmitir os seus diferentes pensamentos e pontos de vista.

Produzido por Paulo Furtado (Legendary Tigerman) e com participações de Filipe Costa (teclados) e Ian Ottoway (voz e texto em “Modern Wasteland”), Lucifer conta com nove temas e uma versão (“Teenage Kicks” dos Undertones).

Lucifer é uma verdadeira celebração do rock no seu estado mais puro e, sendo legitimamente a magnum opus dos The Poppers, será uma surpresa desagradável se não surgir nas listas dos melhores álbuns de 2017.
por Hugo Fresta
30 de Março, 2017
portugal, album, 2017, review, critica, Lucifer, The Poppers
Comentários
http://www.MOTORdoctor.PT