8
QUA
9
QUI
10
SEX
11
SAB
12
DOM
13
SEG
14
TER
15
QUA
16
QUI
17
SEX
18
SAB
19
DOM
20
SEG
21
TER
22
QUA
23
QUI
24
SEX
25
SAB
26
DOM
27
SEG
28
TER
1
QUA
2
QUI
3
SEX
4
SAB
5
DOM
6
SEG
7
TER
8
QUA

Filho da Mãe & Ricardo Martins @ Maus Hábitos - Porto [20Fev2016] Texto + Fotos

24 de Fevereiro, 2016 ReportagensSara Dias

Partilhar no Facebook Partilhar no Google+ Partilhar no Twitter Partilhar no Tumblr
Maus Hábitos

Marching Church @ Maus Hábitos - Porto [27Fev2016] Texto + Fotos

Under The Doom Festival 2016 - Dia 1 [12Fev] Texto + Fotos
filhodamae14

“Uma guitarra poderosa, enérgica, explosiva e uma bateria em constante convulsão. Estes são os ingredientes para uma verdadeira Tormenta: apenas dois, mas ambos com um travo incrivelmente ativo.” (Luís Sobrado, Tormenta review)



 
Rui Carvalho nem sempre foi um Filho da Mãe. Conhecido membro duns If Lucy Fell ou duns I Had Plans, foi só em anos bem recentes que o vimos largar o punk frenético e distorcido por uns não menos furiosos dedilhados em discos como Palácio e Cabeça, de 2011 e 2013, respetivamente. Às paisagens pintadas pela sua guitarra junta-se agora o rufar de Ricardo Martins, baterista de um sem número de projetos, dos quais enumeramos uns Lobster ou Papaya (estes últimos que vão inclusivamente abrir os concertos de Black Bombaim & Peter Brötzmann em Lisboa e de Marching Church no Porto). Em construção desde 2014, a colaboração entre ambos vê agora a luz do dia em formato físico.

Foi pela mão da Revolve, editora e promotora vimaranense, que no passado sábado e sob o telhado do Maus Hábitos assistimos à apresentação de Tormenta na cidade do Porto. Perante uma sala bem composta, o duo abriu com “Pessoal Beto Em Sítios Chungas” e  “A Tia Dela”, num arranque que depressa vincou a diferença crucial entre o trabalho de estúdio e o que é uma performance ao vivo: a pujança. Em comparação com o que ouve no disco, em concerto é tudo representável na forma de um soco na pança, com o duo a atacar a plateia com uma energia e garra palpáveis.  Diferença igualmente assinalável algures na marca de metade pela colaboração com Cláudia Guerreiro (Linda Martini) e Óscar Silva (JIBÓIA), trazendo uma dimensão ainda maior à música. O alinhamento abrangeu também faixas como “Tartaruga”, “Tritão” e “Estrela Acabada”, seguindo de forma óbvia o regime de apresentação de Tormenta, ao longo do que foram cerca de 45 minutos de atuação. Findo o alinhamento de forma explosiva, somos deixados ao chinfrim estridente das guitarras numa espécie de parede sonora, escolta perfeita ao duo e convidados enquanto abandonam o palco.

por
em Reportagens
fotografia Hugo Adelino


Filho da Mãe & Ricardo Martins @ Maus Hábitos - Porto [20Fev2016] Texto + Fotos
Queres receber novidades?
Comentários
Contactos
WAV | 2023
Facebook WAV Twitter WAV Youtube WAV Flickr WAV RSS WAV
SSL
Wildcard SSL Certificates
Queres receber novidades?