16
SEX
17
SAB
18
DOM
19
SEG
20
TER
21
QUA
22
QUI
23
SEX
24
SAB
25
DOM
26
SEG
27
TER
28
QUA
29
QUI
30
SEX
1
SAB
2
DOM
3
SEG
4
TER
5
QUA
6
QUI
7
SEX
8
SAB
9
DOM
11
TER
The Church
12
QUA
13
QUI
14
SEX
15
SAB
16
DOM

Mother Engine - Cave 45, Porto [4Out2017] Texto + Fotos

12 de Outubro, 2017 ReportagensJorge Alves

Partilhar no Facebook Partilhar no Google+ Partilhar no Twitter Partilhar no Tumblr
Cave 45

Swans - Hard Club, Porto [8Out2017] Texto + Fotos

Radio Moscow + Kaleidobolt - Hard Club, Porto [30Set2017] Texto + Fotos


 

Com o anúncio oficial do encerramento da Cave 45, instalou-se na comunidade de melómanos um forte sentimento de melancolia: afinal, passamos muito tempo nos últimos anos a colecionar memórias neste espaço único, dotado de um espírito que simplesmente não se encontra actualmente em mais lado nenhum; mais do que uma mera sala de concertos, a Cave tornou-se a casa do rock na Invicta, um local de descoberta e convívio. Contudo, por muito que nos custe admitir, tudo tem um fim, ainda que este seja cruelmente prematuro.

Ainda assim, até ao final do ano muito temos para ver e ouvir, e na quarta-feira passada foi a vez de assistirmos ao regresso dos alemães Mother Engine, aqui a promover a novidade Hangar.

O grupo, que já por cá tinha estado para uma atuação no Sonic Blast, em Moledo, não acrescenta necessariamente nada de novo, mas a ausência de inovação é compensada com um rock de inegável qualidade: com as bases no stoner de tons psicadélicos, o trio adiciona refrescantes elementos progressivos, tornando as suas composições mais dinâmicas e ricas. Há momentos rockeiros e outros de natureza contemplativa, mas independentemente da opinião que tenhamos sobre o som que praticam, é impossível não nos sentirmos entusiasmados ao ver uma banda a dar tudo o que tem.

A atuação dos Mother Engine – que até direito a encore teve – foi, acima de tudo, uma sessão intimista, suada e enérgica de puro rock retro. Numa noite em que os portuenses Orangotango e os barcelenses West Grave também marcaram presença e proporcionaram belos aquecimentos – os primeiros num registo mais intenso e direto e os segundos numa onda mais bluesy, sem esquecer o peso - celebrou-se a arte do riff e provou-se que o rock continua vivo e saudável. Concertos como estes, ao contrário do local que os acolheu, viverão para sempre na nossa memória.

 

Mother Engine


Orangotango e West Grave
por
em Reportagens
fotografia Bruno Pereira


Mother Engine - Cave 45, Porto [4Out2017] Texto + Fotos
Queres receber novidades?
Comentários
Contactos
WAV | 2021
Facebook WAV Twitter WAV Youtube WAV Flickr WAV RSS WAV
SSL
Wildcard SSL Certificates
Queres receber novidades?