1
SEX
2
SAB
3
DOM
4
SEG
5
TER
6
QUA
7
QUI
8
SEX
9
SAB
10
DOM
11
SEG
12
TER
13
QUA
14
QUI
15
SEX
16
SAB
17
DOM
18
SEG
19
TER
20
QUA
21
QUI
22
SEX
23
SAB
24
DOM
25
SEG
26
TER
27
QUA
28
QUI
29
SEX
30
SAB
31
DOM
1
SEG

Russian Circles – Hard Club, Porto [29Abr2022] Texto + Fotos

29 de Maio, 2022 ReportagensCatarina Nascimento

Partilhar no Facebook Partilhar no Google+ Partilhar no Twitter Partilhar no Tumblr

Deafkids + Clementine – ADAO, Barreiro [3Jun2022] Texto + Fotos

Bad Religion - Sala Tejo, Lisboa [14Mai2022] Foto-reportagem
Os Russian Circles fizeram parte da longa lista de concertos cancelados nos últimos dois anos (cujos motivos já nem precisam ser mencionados). Mas a espera não afastou ninguém de uma das mais cativantes bandas de post-metal da atualidade. Aliás, o evento estava completamente esgotado e, às 21 horas em ponto de 29 de abril, a sala 2 do Hard Club já se encontrava praticamente cheia. Os reencontros faziam-se ouvir e sentir naquela sala que ansiava os concertos sem máscaras, sem distâncias e sem qualquer cinto de segurança. Naquele que foi o primeiro grande evento do ano promovido pela Amplificasom, o ambiente era de nostalgia e liberdade.

Antes de o trio de Chicago pisar o palco, os Helms Alee tomaram as rédeas e apresentaram – em dia de lançamento do disco – o seu “Keep This Be The Way”. Apesar de Torche ter deixado de poder ser a banda de abertura deste concerto, a energia manteve-se na medida certa. As duas bandas já se haviam juntado para o concerto de 2015 em Lisboa e, 7 anos depois, o grupo de Seattle mostra que é um pequeno tesouro do sludge e do noise rock. Com vozes tanto pesadas como com aspetos melódicos dos três membros, o grande destaque vai para a baterista Hozoji Margullis. A facilidade com que passam de sonoridade mais indie rock para algo completamente post-metal é de congratular. E isso mostra muito do seu “à vontade” com as suas diferentes facetas, surpreendendo a plateia com vários níveis de intensidade a cada música.

Tal como a Amplificasom mencionou nas suas redes oficiais “901 dias depois de Godspeed You! Black Emperor, uma pandemia que nos mandou todos ao fundo, guerras à nossa volta que só podemos lamentar, (…)”, a espera havia terminado. Numa atmosfera onírica, com luzes azuis baixas e música a meio gás, começava-se a ver Brian Cook (baixo), Mike Sullivan (guitarra) e Dave Turncrantz (bateria) a tomarem as suas posições. Porém, a calma fica-se por pouco tempo. Com “Blood Year”, de 2019, ainda por apresentar em Portugal, o concerto começou com “Arluck”, o primeiro single desse disco.

Ouvir Russian Circles ao vivo é reconhecer a sua identidade sonora nos primeiros acordes e, especialmente, nas primeiras grandes explosões em que percursão e as cordas desbravam. Não se sabe bem o que acontece do início ao fim, deixamo-nos levar pela instrumentalidade que, entre momentos ora pacíficos ora galopantes, falam connosco no mais íntimo espaço do subconsciente. Entre a lucidez e o descontrole, o hipnotizante jogo de luzes utilizado no palco torna tudo mais forte, acrescentando uma camada mais acentuada na distorção.

A setlist foi perfeitamente orquestrada com as músicas que já são clássicos para qualquer admirador de post-metal e post-rock. Além disso, entre a apresentação pode-se ter um vislumbre do que o que aí vem. “Conduit”, a nova música ainda sem lançamento, mostrou uns Russian Circles magistrais e com total controlo da sua arte, o que só aumenta a curiosidade pelo novo disco que por aí há de vir.

Sem tirar o mérito experimental e completamente destrutivo de “Blood Year”, que teve “Quartered” e “Sinaia” entre os temas executados, outras músicas dos primórdios do grupo também se fizeram ouvir. Do álbum “Guidance”, fez parte “Afrika” e “Vorel”. Não faltaram também faixas-chave, tanto de “Memorial” (com a pesadíssima “Deficit”) como de “Empros” (com uma “309” de fazer doer o pescoço). Do disco “Station”, “Harper Lewis” fez o público gritar e, para terminar a noite em chave de ouro, ouviu-se uma das músicas mais aclamadas – e talvez a mais reconhecível – “Youngblood”, que fechou o concerto com uma pujança desmedida.

Russian Circles e Helms Alee
por
em Reportagens


Russian Circles – Hard Club, Porto [29Abr2022] Texto + Fotos
Queres receber novidades?
Comentários
Contactos
WAV | 2022
Facebook WAV Twitter WAV Youtube WAV Flickr WAV RSS WAV
SSL
Wildcard SSL Certificates
Queres receber novidades?