8
QUA
9
QUI
10
SEX
11
SAB
12
DOM
13
SEG
14
TER
15
QUA
16
QUI
17
SEX
18
SAB
19
DOM
20
SEG
21
TER
22
QUA
23
QUI
24
SEX
25
SAB
26
DOM
27
SEG
28
TER
1
QUA
2
QUI
3
SEX
4
SAB
5
DOM
6
SEG
7
TER
8
QUA

Wand - Hard Club, Porto [2Fev2018] Texto + Fotos

08 de Fevereiro, 2018 ReportagensJorge Alves

Partilhar no Facebook Partilhar no Google+ Partilhar no Twitter Partilhar no Tumblr
Hard Club

Fugly - Maus Hábitos, Porto [9Fev2018] Texto + Fotos

Comeback Kid c/ Nasty e Backflip - RCA Club, Lisboa [4Fev2018] Foto-reportagem

Somente seis meses após a passagem pelo NOS Primavera Sound, os norte-americanos Wand regressaram ao Porto, desta vez em nome próprio e em fase de promoção ao mais recente Plum, disco consideravelmente mais eclético e gravado em regime democrático, com todos os elementos a contribuir criativamente. Hoje um quinteto em vez do trio original, exibiram nesta fria noite de sexta-feira os frutos da sua evolução artística perante uma plateia bastante composta e que os recebeu de braços abertos.

Ao contrário de outros nomes da cena californiana – pense-se em Ty Segall ou Meatbodies – a fórmula dos Wand não se limita a uma poderosa descarga de riffs psicadélicos, havendo um saudável diálogo entre momentos de pura intensidade e uma calmaria sonhadora, quase pachorrenta. Esse lado mais melódico é evidente em temas recentes como “Plum” ou “Charles de Gaulle”, mas encontramo-lo igualmente na doçura de “Melted Rope”, memorável recordação de 2015 que era suposto colocar um ponto final neste regresso a terras portuenses, mas que felizmente acabou por não constituir a derradeira despedida que todos receávamos. No final, como resposta aos pedidos por um encore, o quinteto, visivelmente surpreendido, decidiu fazer a vontade e ofereceu uma feroz interpretação de “Fire on the Mountain”, numa fantástica explosão de energia garage rock.  

Com esta passagem, os Wand protagonizaram uma viagem sonora que alternou entre a introspecção e a rebeldia rockeira juvenil, mas que se manteve constantemente interessante. Poderá haver bandas do género que os superem em palco, mas a atmosfera que instalam revela-se estranhamente encantadora, quase como se fossemos transportados para uma realidade à parte do mundo que habitamos, entrando a convite do grupo de Cory Hanson num deslumbrante universo decorado com riffs retro e melodias sedutoras. Foi bonito, lá isso foi.

A primeira parte foi assegurada pelo colectivo Sereias, frenéticos criadores de uma sonoridade onde a fúria do punk irreverente se cruza com a loucura do free jazz e uma aura poética. Todavia, pelos menos nesta fase, o conceito resulta melhor a nível teórico, já que a execução, ainda que ocasionalmente cativante, é pouco coesa e demasiado aleatória para o seu próprio bem.

Wand e Sereias
por
em Reportagens
fotografia Hugo Adelino


Wand - Hard Club, Porto [2Fev2018] Texto + Fotos
Queres receber novidades?
Comentários
Contactos
WAV | 2023
Facebook WAV Twitter WAV Youtube WAV Flickr WAV RSS WAV
SSL
Wildcard SSL Certificates
Queres receber novidades?