27
SEX
Eyehategod
28
SAB
29
DOM
30
SEG
1
TER
2
QUA
3
QUI
4
SEX
5
SAB
B Fachada
6
DOM
Vëlla + Downfall Of Mankind
7
SEG
8
TER
9
QUA
10
QUI
11
SEX
12
SAB
13
DOM
14
SEG
15
TER
16
QUA
17
QUI
18
SEX
19
SAB
20
DOM
21
SEG
22
TER
23
QUA
24
QUI
25
SEX
26
SAB
27
DOM

Godspeed You! Black Emperor - Asunder, Sweet and Other Distress

Godspeed You! Black Emperor - Asunder, Sweet and Other Distress - 2015
Review
Godspeed You! Black Emperor Asunder, Sweet and Other Distress | 2015
Rafael Trindade 20 de Maio, 2015
Partilhar no Facebook Partilhar no Google+ Partilhar no Twitter Partilhar no Tumblr

Tyler the Creator - Cherry Bomb

Alabama Shakes - Sound & Color

Os Godspeed You! Black Emperor estagnaram. Uma das bandas mais discograficamente consistentes que o mundo já testemunhou, por fim lançou um disco abaixo das expectativas e sobretudo abaixo do nível ao qual nos habituaram com discos como F#A# (Infinity), Lift Your Skinny Fists Like Antennas to Heaven ou até mesmo com o recente Allelujah! Don’t Bend, Ascend!. O dia teria que chegar, mais cedo ou mais tarde.

Asunder, Sweet and Other Distress é o quinto disco de uma banda que existe há quase duas décadas e não traz absolutamente nada de novo ao catálogo discográfico destes reis do pós rock. Desta vez não há qualquer cenário apocalíptico, nenhuma cinematografia auditiva nem coexiste com a música a eminente colossalidade à qual o coletivo canadiano nos habituou. Aqui ouvimos uns Godspeed You! Black Emperor a puxarem uma influência stoner rock para o seu círculo musical e, embora não falhem miseravelmente, os resultados são evidentemente inferiores às expectativas altas e sempre adjacentes a um disco da banda seminal.

Isto não quer dizer que Asunder, Sweet and Other Distress é um disco mau. De facto, não tem propriamente um momento que possa ser classificado como “desastroso” ou “horrível”. A abertura do disco dá-se através de “Peasantry or ‘Light! Inside of Light!’” e é até um tema aceitável no que toca à fasquia “Godspeediana”. Os tímpanos do ouvinte atravessam “Lambs’ Breath” e “Asunder, Sweet” e o aborrecimento aumenta progressivamente, em conjunto com os drones desnecessariamente grandes. Não fossem estes os Godspeed You! Black Emperor e qualquer ouvinte se sentiria tentado a desistir do disco por esta altura.

Felizmente, o novo disco de Efrim Menuck e companhia contém quatro temas e é em “Piss Crowns Are Trebled” que reside o inquestionável monumento do álbum. Indiscutivelmente um dos melhores temas de uma já quintessencial e magnânima carreira, o tema de 14 minutos que encerra “Asunder, Sweet and Other Distress” lembra-nos novamente do porquê de adorarmos tanto esta malta canadiana, mesmo quando toda a esperança que o projeto constantemente proclamou desde a sua génese parecia perdida.

Em suma, o novo disco dos Godspeed You! Black Emperor apenas dá uma sensação de fatiga e até de tristeza porque leva o selo desta banda em cima. É um bom disco da parte dos monarcas canadianos do pós rock, o problema é que ao nome destes estarão sempre adjacentes as típicas e impossíveis altas expectativas. Devemos dar, pelo menos, graças pelo facto de os Godspeed You! Black Emperor ainda estarem vivos e de boa saúde. Afinal de contas, a esperança é efetivamente a última a morrer, não é?
por
em Reviews


Godspeed You! Black Emperor - Asunder, Sweet and Other Distress
Queres receber novidades?
Comentários
Contactos
WAV | 2020
Facebook WAV Twitter WAV Youtube WAV Flickr WAV RSS WAV
SSL
Wildcard SSL Certificates
Queres receber novidades?